Virada Paulista, melhor que a capital

Sem farsas nem dinossauros, elenco internacional está forte no interior

, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2010 | 00h00

Cantora americana Cat Power se apresenta em Jundiaí e São José dos Campos durante Virada Paulista

 

Mudhoney, Yann Tiersen, Cat Power e Manu Chao estarão neste fim de semana em cidades do interior e do litoral de São Paulo, na Virada Cultural Paulista. Nenhum é inédito aqui - Tiersen veio em 2007 e a banda de Seattle (que toca hoje no Clash Club), em 2008, quando fez show em São Carlos; Cat Power e Manu vêm batendo ponto direto -, mas têm produzido material novo e bom e feito shows impactantes. Não são dinossauros enferrujados, nem farsas como Double You e o cover do ABBA, que vieram para a Virada da Capital no fim de semana passado. Tocando clássicos do soul e do R&B, como Green Onions, Ain"t no Sunshine, (Sitting on) The Dock of the Bay e Take Me to the River, mas prejudicado pela sofrível qualidade de som, Booker T. foi exceção entre as atrações internacionais. O resto foi roubada.

 

Veja também:

lista Programação completa no site oficial

Liderado pelo vocalista Mark Arm, o Mudhoney, um dos pioneiros do grunge, volta ao Brasil pela quarta vez e vai misturar material do álbum mais recente, The Lucky Ones, lançado em 2008, com os anteriores. Além do Clash, eles tocam à meia-noite do sábado no palco externo da Avenida Cívica, em Mogi das Cruzes, e às 17 h de domingo no palco externo do Anfiteatro Nelson Castro (represa).

Na pele de Cat Power, a musa indie Chan Marshall espalha seu belo timbre vocal por Jundiaí (às 22h30 de amanhã no Teatro Polytheama), e encerra a programação de São José dos Campos, às 17 h de domingo, no Parque da Cidade. Os paulistanos também terão oportunidade de (re)vê-la na terça-feira, quando faz única apresentação no Bourbon Street Music Club (Rua dos Chanés, 127, telefone 11 5095-6100), a partir das 22h30, com ingressos variando de R$ 125 a R$ 270.

Manu Chao há tempos cultiva sua porção brasuca e tem até canções influenciadas por sua galera carioca. Toda vez que pisa por aqui acaba fazendo shows de surpresa. Desta vez, não tem nada programado para São Paulo, mas vem cogitando tocar no Galpão Busca Vida, na zona rural de Bragança Paulista, onde todo ano o artista plástico realiza a parte musical do bem-sucedido Festival de Arte Serrinha. O que é certo até agora é que Manu toca amanhã à meia-noite na Praça Mauá, em Santos, e às 17 h de domingo na Praça Pedro de Toledo, em Araraquara. Desta vez deve fazer um show diferente, com trio.

Conterrâneo de Manu, o multi-instrumentista, compositor e cantor francês Yann Tiersen também ataca em diversas frentes. Fez trilhas para os filmes Amélie Poulin (que o tornou famoso mundialmente), Adeus Lenin! e Tabarly, tem trabalhos instrumentais com influências do minimalismo e também toca rock pesado ao vivo. Portanto, pode-se esperar de tudo nas apresentações de amanhã, às 22h30 no Teatro Municipal de Piracicaba, e de domingo, às 16h30 no Theatro Municipal de São João da Boa Vista.

Em fevereiro, o Estado revelou em primeira mão os nomes internacionais da Virada da Capital, entre eles estava o tecladista britânico Rick Wakeman, que faria uma versão de seu clássico Journey to the Centre of the Earth, de 1974. Segundo a reportagem apurou, a organização do evento decidiu suspender o concerto de Wakeman, que já estava com pré-contrato assinado, depois do furo do Estado. Ele deverá vir na edição de 2011. Espera-se que em melhores condições técnicas do que Booker T. / L.L.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.