Arquivo/AE
Arquivo/AE

Vinícius de Moraes é promovido a embaixador em homenagem póstuma

Poeta que atuou na diplomacia brasileira foi aposentado compulsoriamente pelo AI-5

Agência Brasil,

16 de agosto de 2010 | 22h59

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva promoveu nesta segunda-feira, 16, Vinícius de Moraes ao cargo de embaixador pós-morte, em cerimônia com parentes e amigos do poeta e diplomata.

 

Ao discursar, Lula afirmou que essa reparação poderia ter sido feita antes e criticou a aposentadoria compulsória do poeta ocorrida no período da ditadura militar, após ele ter atuado por 26 anos na diplomacia brasileira.

 

"As pessoas que tiveram a atitude de um dia propor a cassação de Vinícius de Moraes certamente não serão lembradas pela história. Amanhã ninguém está ou estará sentindo a falta dessa gente", disse Lula.

 

Em 1968, Vinícius de Moraes foi aposentado compulsoriamente por meio do Ato Institucional Nº 5 (AI-5), sob alegação de que seu comportamento boêmio não condizia com a carreira pública. Vinícius atuou na diplomacia brasileira, em geral em atividades burocráticas, servindo em Los Angeles, Paris e Roma.

 

Família de Vinícius de Moraes é homenageada em evento

 

O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou que essa é uma das mais pesadas heranças que ficou da ditadura. "Quando puseram a assinatura na cassação de Vinícius era uma autocassação do Itamaraty que se diminui diante do mundo. Isso tudo hoje demonstra que a força do humanismo é maior do que a força da arma, que a força das ideias pré-concebidas".

 

A aposentadoria de Vinícius foi publicada quando ele fazia um espetáculo em Lisboa com Chico Buarque de Hollanda e Nara Leão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.