Vilma Arêas lança seus "contos tensos"

Trouxa Frouxa. Trata-se de um livro de contos. "Alguns são decididamente contos, outros não", explica a autora. Isto porque, o que interessa a Vilma Arêas é a tensão do texto. Diz que o leitor de poesia está sempre preparado para encontrar uma tensão própria do texto poético. Já na prosa, ele procura uma historinha. E o que Vilma procura é misturar as coisas e jogar a tensão da poesia na prosa.O título do livro remete à diferença de qualidade entre os textos. "Há o relato de um sonho, vários textos com o mesmo título, como por exemplo Dudu, porque são ligados a um personagem. Dois textos com o nome de Amor, cinco intitulados Acervo, contendo lembranças de prisão", conta ela. Essas reuniões de contos ela chama de bolinhos, ou seja, bolinhos de textos sobre um mesmo tema."Gostei de fazer este livro, diz ela, ele tem problemas, mas afinal, a gente tem problemas".O primeiro conto do livro, Furo na Mácula, talvez seja aquele que contenha a essência do livro, ou do estilo da escritora, do seu jeito de ver o mundo e de fazer literatura. "Eu tenho de fato uma visão perturbada do olho esquerdo, na mácula, então eu vejo de uma maneira imaginosa". É com esse jeito diferente de olhar a realidade que ela escreve.Vilma é carioca, professora de literatura brasileira na Unicamp, interessada mais especificamente na prosa contemporânea. Já publicou livros de ensaios, contos e novelas. Ganhou o prêmio Jabuti duas vezes, por Aos Trancos e Relâmpagos, novela publicada pela Scipione em 1988 e A Terceira Perna, de contos, publicado pela Brasiliense em 1992. Trouxa Frouxa (Companhia das Letras, 88 págs., R$ 19) será lançado na segunda-feira, às 18h30, na Livraria Cultura (av. Paulista, 2.073, tel: 285-4033).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.