Vila Isabel canta o trabalhador em Carnaval da família real

Em um ano dominado por enredossobre os 200 anos da chegada da família real portuguesa aoBrasil, um grito pela valorização do trabalhador saído dobairro de Noel Rosa promete se destacar na avenida. Misturado ao luxo que prometem ser os desfiles da SãoClemente, Mocidade Independente de Padre Miguel e Imperatriz --cada uma com uma leitura diferente do início da vida da corteportuguesa no país, a Vila Isabel resgatou um tema da década de1950 que não chegou a ser realizado pela escola: "Trabalhadoresdo Brasil". Apostando na presença do presidente Luiz Inácio Lula daSilva no desfile da Marquês de Sapucaí, apesar de todos os anosos rumores de sua vinda nunca se confirmarem, a Vila vaihomenagear os movimentos trabalhistas do Brasil. "Não vai ter menção direta (ao Lula), mas a homenagem estámuito clara na letra do samba-enredo", disse à Reuters AdeilsonTelles, primeiro-secretário da CUT Nacional, que apóia aescola. Telles, que acompanhou o dia-a-dia da construção doCarnaval da escola azul e branca ao longo de 2007, afirmou queo apoio da CUT é apenas institucional. O dinheiro ficou porconta da Petrobras, Nestlé, HSBC e Ticket Restaurante. Boatos de um novo patrocínio do presidente Hugo Chávez, queem 2006 bancou o Carnaval campeão da Vila, foram totalmentenegados por representantes da escola. O enredo vai contar desde a descoberta do Brasil --com umtoque de ironia em relação à fama de preguiçoso do brasileiro--até os dias de hoje, passando pela época dos escravos, achegada dos imigrantes, a era Getúlio Vargas, a ditaduramilitar e as greves do ABC. Mas é possível que haja algum personagem barbudo nesseCarnaval? "Ele (Lula) como figura histórica é importante, mas não vaiser nem citado", prometeu o carnavalesco Alex de Souza,estreando em Vila Isabel depois de uma temporada na MocidadeIndependente de Padre Miguel. A concepção do enredo, segundo Souza, teve muita pesquisacomo base e ajuda do historiador Alex Varela. "Sempre houve questionamento do brasileiro por ser mestiço,e por viver nos trópicos, como se fosse o país do ócio, dapreguiça, da apatia", explicou Telles. "E se a gente está falando de trabalho é engraçado procurarver esses conceitos de preguiça nacional", complementou,afastando qualquer risco de esfriar a festa com reflexõestrabalhistas muito sérias. Para o representante da CUT, será muito fácil o trabalhadorse identificar com o samba da Vila nessa homenagem feita aostrabalhadores no Carnaval. Além disso, pelo menos 150 pessoasligadas a sindicatos participarão do desfile, informou Telles. Para agradecer o apoio da Petrobras ao Carnaval do Rio,depois de o presidente Lula ter determinado que a empresarepassasse 12 milhões de reais para agremiações, a Vila Isabelfará uma festa no dia 30 na quadra da escola, para a qual estáprevista a vinda do próprio Lula. "Estamos trabalhando para isso", afirmou Telles, que esteveem Brasília justamente para cuidar desse convite especial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.