Vídeo brasileiro compete hoje em Locarno

Kiko Goifman e Jurandir Muller são os únicos brasileiros que participam de uma competição este ano no Festival Internacional de Cinema de Locarno, que termina no sábado. Juntos, Kiko e Jurandir fizeram Morte Densa, média-metragem de 55 minutos, filmado na cidade de São Paulo, reúne depoimentos de oito assassinos confessos, que têm em comum o fato de que mataram apenas uma vez. Kiko Goifman é conhecido de Locarno, onde, no ano passado, levou o filme 33. Morte Densa participa da competição vídeo, que concede um prêmio equivalente a US$ 20 mil. Concorre com outros 18 vídeos, entre eles Backstage, sobre o grupo teatral catalão Fura del Baus Na competição de longas-metragens não há filme brasileiro. Apenas a Argentina, premiada com um Leopardo de Prata no ano passado, e a Bolívia representam a América Latina. Guantes Magicos é o filme do argentino Martin Rejtman e Dependência Sexual é do boliviano Rodrigo Bellott, co-produzido com os Estados Unidos. Existem 16 filmes na competição de longa-metragem, a maioria deles originários da França, mas há também um filme do Paquistão, tratando do começo do fundamentalismo religioso, Khamosh Pani; um da Índia, Chokker Bali; e um iraniano Pequenos Flocos de Neve, de Ali-Reza Amini. O Festival de Cinema de Locarno revelou cineastas como Jim Jarmuch e Abbas Kiarostami. Este ano, homenageia com um prêmio pelo conjunto da obra o inglês Ken Loach, exibindo Raining Stones, de 1993, na Piazza Grande, em telão de 270 metros quadrados e cadeiras para 9 mil expectadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.