Vide Bula sobe à passarela e dá um up na noite

Com duas horas de atraso no programa do São Paulo Fashion Week, a Vide Bula subiu à passarela para dar um up na noite. Com trilha totalmente anos 70, bem disco, a grife relembrou as pistas de patinação (alguém lembra?) e abriu o desfile com uma galera sobre rodas. O roteiro da coleção seguiu um story board que se passa entre Dallas e o Havaí e retrata um caso entre uma garota, seu namorado e um surfista que, para encurtar a conversa, acabam os três, felizes para sempre. Nesse clima de romance moderno surgem personagens que são pura diversão, nas estampas que remetem ao surfwear. O verde-limão abre a cartela, abusado, bem new wave. O sporstwear está em tudo: nas sainhas curtas e pregueadas, nos cavalos baixos das calças, nas t-shirts bicolores, nos tênis All Star (atenção para a bota cano longo, as meninas adoram). O clima é de pura alegria, a roupa é basiquinha, mas o styling segura a onda. Bons os cintos tricolores, usados por garotos e garotas. A Vide Bula faz jeans e camiseta, mas começa a exibir um perfume de modernidade capaz de garantir o nome da marca no guarda-roupa da moçadinha. É roupa de jovens, para jovens. I?ll survive, de Gloria Gaynor no final da animada apresentação, é quase autobiográfico. A Vide Bula vai sobreviver mais um verão, com certeza ? e com folga nas vendas, pode apostar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.