Vida sentimental de Vladimir Putin vira filme

Um jovem agente da KGB se apaixona poruma aeromoça chamada Lyudmila e então conquista o Kremlin? Soafamiliar? O enredo desse novo filme russo tem uma notávelsemelhança com a vida do presidente Vladimir Putin. "Beije-me em Off" rompe o tabu que mantinha a vidasentimental de Putin sob rígido sigilo. O lançamento oficialestá marcado para o dia de São Valentim, que é o dia dosnamorados na Rússia, apenas duas semanas antes da eleição quevai escolher o sucessor do atual presidente. Os distribuidoresesperam superar o hit hollywoodiano "Piratas do Caribe" emvenda de DVDs. O produtor Anatoly Voropayev, ex-vice-governador de umaregião, disse em entrevista coletiva que ninguém consultou oKremlin sobre o filme, rodado entre 2001 e 2003. Ele negourumores de que a esposa de Putin teria ajudado a escrever oroteiro. "Vivemos e trabalhamos sob uma certa primeira-pessoa, entãoquando falamos de política não podemos simplesmente ignorarisso", disse o produtor. Lyudmila, de 50 anos, às vezes parece nervosa em público, ea imprensa nunca fala das duas filhas do casal, Maria eKaterina. "Beije-me em Off" mostra como Putin conheceu Lyudmila, ocasamento deles, em 1983, e a subseqüente mudança para Dresden(Alemanha), onde Putin trabalhava como espião da KGB. Lyudmila é mostrada gravemente ferida depois de um acidentede carro, e a futura primeira-família aparece fugindo de umincêndio na "dacha" familiar nos arredores de São Petersburgo.Em um momento, a esposa de Putin o questiona sobre a verdadeiranatureza de seu trabalho em Dresden. Putin, hoje com 55 anos, é interpretado por Andrei Panin,um ator respeitado pelo papel de um policial corrupto naminissérie de TV "Brigada", no começo da década de 1990. Poucos diretores ousaram tratar da vida familiar depresidentes russos num país onde reportagens investigativassobre atuais e ex-líderes do Kremlin são impensáveis. O influente jornalista político Sergei Dorenko disse quepor causa desse tipo de tabu foi difícil lançar o filme quandoele ficou pronto, em 2003. "A Rússia é um país com uma tradição bizantina, na qual afamília é muito mais um assunto fechado do que na EuropaOcidental --seria até assustador pensar nesse tipo de filme hádois anos", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.