"Vida de Plástico" ganha espaço na MTV

Os bonequinhos da série animada Vida de Plástico estão de volta à programação da MTV. Juvenal - o Paranormal, Baixinho - o Escroto e mais seis novos episódios, recém criados por Felipe Xavier, passarão a ser exibidos a partir do dia 30, de segunda a sexta-feira. A julgar pelos oito episódios da primeira temporada, exibida de julho a setembro do ano passado, os personagens inéditos deverão fazer a festa de quem já é chegado aos tipos crumbianos de Vida de Plástico, invariavelmente escatológicos e capazes de remexer as podridões da natureza humana com um humor para lá de direto, já que o formato da série será feito por drops de um minuto de duração.Terças e quintas, além da exibição diária, sempre entre 23 horas e 1 h, o espectador ganha o bônus de mais um capítulo, entre 22 horas e 23 h. Felipe Xavier, ex-Sobrinho do Ataíde, considera o Vida de Plástico uma evolução de seu trabalho no rádio, meio em que continua atuando. "Queria tirar partido disso para criar uma coisa nova." Foi quando teve a idéia de usar bonecos de plástico ao assistir o seriado britânico Absolutely Fabulous."Eu já tinha pensado em animação, mas é muito caro. Aí vi um trecho de animação com bonecas de plástico e senti que seria por ali", conta Xavier, que tem como parceiro na direção o produtor Doca Corbett. O japonês Higuti assina os bonecos.O Vida de Plástico foi ao ar pela primeira vez na estréia do Gordo a Go-Go. A MTV queria fazer do talk show de João Gordo um celeiro para produtores independentes da animação nacional. No programa de segunda, Gordo entrevista Felipe Xavier. Figuras insólitas como Suellen, uma prostituta romântica e o cão labrador Ted Burry poderão ser revistos pelo público, já que a emissora também vai reprisar os oito episódios do ano 1."É uma aposta antiga, o Vida foi o primeiro a se viabilizar diariamente por ter um patrocinador (Red Bull). Desenhos em nossa programação têm de ser transgressores de alguma coisa, não pode ser Power Rangers", afirma Zico Góes, diretor de programação da MTV. "Agora vamos acompanhar para ver se há espaço para mais."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.