Viciados ganham espaço em novela da Globo

Será nas instalações do Conselho Estadual Antidrogas, em São Cristóvão, na zona norte do Rio, que parte do elenco de O Clone circulará nas gravações da terceira fase da nova novela das 8 da Globo, que estréia em 1.º de outubro. Na trama de Glória Perez, a personagem de Débora Falabella será uma viciada em cocaína que, com o apoio da família, tentará livrar-se da droga. A autora quer usar depoimentos verdadeiros na novela e as pessoas que freqüentam o Conselho poderão aparecer na televisão, se quiserem."Uma das nossas grandes lutas é para tirar o dependente da clandestinidade", afirma o presidente da instituição, Murilo Asfora. "Mas quem não quiser aparecer não será obrigado." Cerca de 400 pessoas participam, por dia, de algum dos vários tipos de atendimento que o Conselho oferece gratuitamente. Os casos mais graves são encaminhados para a clínica que a entidade mantém em Santa Cruz, na zona oeste. A maioria participa de grupos terapêuticos, nos moldes dos Alcóolicos Anônimos. O Conselho dá apoio a quem quer se livrar de bebida, cigarro, cocaína e maconha.O "estrelato" está deixando a equipe da entidade animada, mas também preocupada. "Com certeza, a novela vai criar uma demanda maior do serviço", afirma Asfora. "Espero que a gente tenha condições de atender a essa nova expectativa". Antes das gravações, o elenco acompanhará alguns grupos de tratamento para fazer laboratório para seus personagens. Vinculado à Secretaria de Direitos Humanos, o Conselho é um centro de referência ao tratamento de viciados, no Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.