Viagem aos Congos

A jornada de Sun Araw para gravar com o histórico The Congos, na Jamaica

ROBERTO NASCIMENTO , O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2012 | 03h06

Um dos marcos da carreira de Lee "Scratch" Perry, o brilhante (e, para muitos, ensandecido) produtor, que revolucionou a música jamaicana com prolíficas experiências de dub reggae, nos anos 70, foi um LP do grupo vocal The Congos. Perry vira o potencial dos cantores Cedric Myton e Ashanti Roy, que dobravam vozes - um no falsete, outro no tenor - como se fossem uma só, como se nos chamassem de esferas distantes, e os juntou com um time da pesada, no famoso laboratório Black Ark Studios, para produzir o que muitos consideram seu disco mais consistente, Heart of the Congos.

35 anos depois, o raio de luz que emana das faixas de Heart of The Congos ainda é cristalino. E os vocais agora curtidos em sabedoria veterana continuam capazes de nos hipnotizar com chamados celestiais. Recentemente, os Congos lançaram o disco Icon Give Thank, disponível em download pelo iTunes e pela loja da gravadora RVNG INTL (igetrvng.com), em parceria com os músicos e produtores Sun Araw e M. Geddes Gengras. Trata-se de um encontro entre a psicodelia contemporânea dos dois e a veia espiritual do grupo, que mora em uma comuna rastafári, em Portmore, próximo a Kingston. Nos momentos medianos, Icon Give Thank é um belo encontro entre duas gerações e cenas aparentemente distantes. Nos que se destacam, é um disco brilhante, atípico e visionário, que nos dá a sensação de voltar no tempo e - ao mesmo tempo - ouvir lá os sons de amanhã.

Em sete faixas, Geddes e Sun Araw operam algo como uma hipnose caleidoscópica de guitarras e efeitos, em volta das harmonizações dos Congos. Canta-se sobre deus e luz, em um ritual rastafári de experimentação sonora. O termo psicodelia, associado a este tipo de viagem, não descreve corretamente a luminosidade de faixas como Sunshine, cuja luz é tão edificante, que ao ouvi-la se tem a impressão de vislumbrar um mundo paralelo sobreposto à realidade, como se fôssemos médiuns em uma sessão espírita.

Icon Give Thank é o resultado de uma colaboração idealizada pela gravadora RVNG INTL, que junta expoentes atuais da música experimental com veteranos. Para as gravações, Geddes e Sun Araw, nome artístico de Cameron Stallones, foram à Jamaica por dez dias. Passaram o tempo na comuna dos Congos, como conta Stallones em entrevista a seguir. A experiência é retratada em um documentário de Tony Lowe, sobre a parceria. O DVD ou um arquivo vem junto com o CD ou um download do álbum.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.