AFP
AFP

Vestidos robóticos apontam novas direções para criadores da Semana de Moda de Nova York

Peças foram feitas com kit que permite que estilistas que não sabem programar utilizem a tecnologia em suas roupas

Agências, AFP

12 de setembro de 2019 | 14h33

Uma série de surpreendentes vestidos robóticos desfilaram na Semana de Moda de Nova York, incluindo um perfeito para a era pós #MeToo, com apliques de folhas metálicas em um ombro que balançam e tilintam quando alguém se aproxima demais, graças a sensores de movimento ocultos.

Os vestidos foram feitos com um kit criado pela ex-modelo americana-alemã Anina "Net" Trepte, fundadora da empresa 360Fashion Network, que permite que estilistas que não sabem programar utilizem a tecnologia em suas roupas.

A pedido da empresária e com a ajuda desses kits, duas estilistas, Clare Tattersall e Azrael Yang, criaram seis vestidos que desfilaram pela passarela do show do movimento artístico Melange, em uma igreja episcopal do Harlem, o início da Semana de Moda.

Tattersall, que é britânica mas reside em Nova York, criou o vestido com as folhas que se agitam, e outro com grandes pétalas futuristas que se abrem mecanicamente. E finalmente, um terceiro com um grande capuz prateado que abre e fecha sozinho quando se aperta um botão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.