Versos clássicos brasileiros ao alcance de todos

O livro Cinco Séculos de Poesia ? Antologia da Poesia Brasileira Clássica (Editora Landy, 328 páginas, R$ 32,00), organizado pelo professor e poeta Frederico Barbosa, reúne textos de 21 dos poetas brasileiros mais representativos de nossa tradição literária, da literatura de formação de José de Anchieta ao pré-modernismo de Augusto dos Anjos. A antologia, por seu caráter introdutório e didático, é dirigida principalmente a estudantes, vestibulandos e professores, e pode servir também como um manual de referência àqueles interessados em estabelecer um primeiro contato com os cânones de nossa literatura. Ela permite ao leitor ter uma visão geral de nossa tradição poética em poucas horas de leitura, bem como ter acesso fácil a alguns dos mais belos poemas de nossa literatura.Os períodos abordados ? Formação, Barroco, Arcadismo, Romantismo, Parnasianismo e Simbolismo ? recebem um texto introdutório breve, assim como é apresentada, de maneira sucinta, a biografia e bibliografia de cada poeta. A seleção privilegiou a produção considerada mais criativa e original dos autores selecionados, sem por isso deixar de apresentar as poesias mais conhecidas.Cinco Séculos de Poesia destaca-se por trazer uma boa amostragem de textos, o que proporciona ao estudante a oportunidade de ir direto à fonte ? no caso, o poema ?, enquanto os livros didáticos à disposição no mercado em geral concentram-se na apresentação dos períodos e dos autores, sem oferecer a mesma profusão de textos.A maior virtude da coletânea é a clareza e a síntese, que facilitam a vida do leitor. Mas ela tem a deficiência de não apresentar textos críticos com o mesmo aprofundamento de outros livros à venda nas livrarias, como Presença da Literatura Brasileira ? Das Origens ao Realismo, de Antonio Candido e José Aderaldo Castello, de 1964, obra sem rival em nossa literatura. Este livro, aliás, é o maior paradigma usado pelo organizador de Cinco Séculos de Poesia, ao lado de Roteiro Literário do Brasil e de Portugal, de Álvaro Lins e Aurélio Buarque de Holanda. Além de oferecer um conteúdo crítico muito mais completo e abrangente, a obra de Candido e Castello oferece ainda a vantagem de abordar também os cânones em prosa desse mesmo período. Presença de Literatura Brasileira é o grande modelo. Porém, ao selecionar os poemas, procuramos fazer uma escolha mais radical e atualizada, trazendo autores esquecidos como Sousândrade e Kilkerry. Ao mostrar o trabalho de Gonçalves Dias, por exemplo, apresentamos, além dos consagrados, como Canção do Exílio, poemas mais inovadores, como A Tempestade, que traz variações métricas que representam o desenrolar de uma tempestade. Nem sempre aquele poema mais marcante de determinado poeta é o que tem inovações formais mais ousadas?, afirma Barbosa.Cabe aqui uma ressalva quanto à afirmação de Barbosa, feita no prefácio, de que Augusto de Campos seria ?o nosso grande poeta inventor e crítico?. Pode-se, ao atribuir-se ao referido poeta um mérito que corresponde antes às simpatias pessoais do organizador que ao parecer da crítica em geral, confundir o estudante secundarista ou o leitor desavisado.Toda contribuição para facilitar o acesso à nossa literatura é importante e bem-vinda. A tradição literária brasileira é muito pequena para continuar ignorada pela nova geração.Cinco Séculos de Poesia corresponde àquilo a que se propôs, apesar de que, por sua falta de ambição, possa parecer antes um paliativo à falta de hábito de leitura dos jovens brasileiros de hoje, que estariam sendo motivados principalmente pelas listas de leituras dos vestibulares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.