Versolato coroa Semana de Moda 2001

Repleta de novidades, começa amanhã a Semana de Moda - Casa de Criadores, desta vez abrindo (em vez de fechar) o calendário de lançamentos do prêt-à-porter para a primavera-verão 2002. A primeira noite, mais uma vez, será dedicada ao Projeto Lab, que reúne estreantes na passarela.Nesta edição, há vários nomes inéditos entre os novatos, como Simone Nunes, Estúdio MC2, por Mariana Rocha e Christiana Braconnot, MG5, do casal Erika Ishibashi e Christopher Le Roux, e Karla Girotto. André Camacho e Marcos Nasci - que estão no Lab desde o início - completam o time.A Semana de Moda propriamente dita também reserva surpresas. A maior delas fica por conta da participação do estilista Ocimar Versolato, que vai fazer dois desfiles. O primeiro será dedicado à sua grife OV, de prêt-à-porter e jeanswear, e o segundo marcará o encerramento da semana, com a alta-costura.Lorenzo Merlino retorna ao evento, depois de algumas temporadas fazendo desfiles-solo. Giuliano Menegazzo, ex-Slam, participa agora com sua grife Giuliano, de moda masculina. Giselle Nasser migrou do Lab para a passarela principal e Eduardo Inagaki - ex-assistente de Walter Rodrigues - faz sua estréia."Em fevereiro, Ocimar assistiu a todos os desfiles e achou o evento fantástico, de criadores, ficou deslumbrado. Daí fiz o convite e ele aceitou participar", conta André Hidalgo, organizador do evento. "Trata-se do espaço mais estimulante dentro do calendário fashion brasileiro", diz Ocimar, sobre sua decisão de participar da Casa de Criadores.Radicado há 15 anos em Paris, Ocimar Versolato vive momento de reestruturação e reposicionamento de sua marca no mercado internacional. Ele já desfilou por aqui, mas esta é sua primeira coleção totalmente "made in Brasil". Será também a primeira vez que sua segunda marca, a OV - para um público mais jovem e vendida a preços acessíveis -, será apresentada na passarela.Para Hidalgo, ter uma figura do porte de Versolato entre os participantes é uma forma de coroar os esforços feitos para estabelecer o evento dentro do calendário. "É uma prova de que a gente estava no caminho certo, para que a semana fosse compreendida como um espaço de criadores." A antecipação da data também reforça essa característica. "Os estilistas pediam para iniciar o calendário. Por ser exclusivamente de criadores, nada mais coerente do que eles abrirem a temporada."As alterações no casting de participantes, para o organizador, fazem parte de um processo natural. "Cada marca acaba definindo o direcionamento que quer dar para o negócio, alguns mudam para Paris (como o Icarius), outros vão para a São Paulo Fashion Week, isso só comprova o quanto a moda brasileira está crescendo", avalia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.