Verão econômico de Herchcovitch abre a SPFW

Apesar do frio intenso que tomou a capital paulista, o verão 2002 começou a ser esboçado na passarela da São Paulo Fashion Week. Com atraso de mais de uma hora, Alexandre Herchcovitch abriu a 11ª edição do evento para uma platéia ainda não muito cheia - o Pavilhão da Bienal ainda está esquentando os motores para o que vem por aí. O estilista trouxe desta vez uma moda mais básica, apostando num visual que mistura referências do esporte e da alfaiataria. Como de costume, cobriu o rosto dos modelos e usou mulheres de look andrógino no desfile.A edição da coleção começou com looks monocromáticos em preto. O visual inclui calças mais largas, jaquetas e blazers pequenos e estruturados e, por cima de tudo, faixas e elásticos que parecem saídos do universo dos paraquedistas. Aos poucos, as cores foram tomando conta dos looks, começando pelos sapatos com solado de borracha e flashes de amarelo ovo, vermelho, verde água e lilás. As calças vieram mais curtas, com cintura baixa em tecidos como jeans trabalhado em listras e quadriculado, nylon e tecidos mais encorpados.A roupa íntima também teve vez e apareceu por debaixo das peças: as cuecas amarelas saem para fora do cós das calças, e os bodies justos com suspensórios sobrepõem-se às camisas. As regatas bem decotadas também têm destaque, junto com jaquetas inspiradas nos esportes e calças oversize. O desfile termina mostrando o que há por baixo de suas criações: bodies estilo circense com suspensórios, cuecas tradicionais e boxers que vão até o joelho. Optou por uma moda mais cool, limpando os excessos e com um mix bem dosado de esporte e sofisticação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.