Venda de álbuns musicais nos EUA despenca em 2007

A venda total de álbuns musicaisfísicos e digitais nos Estados Unidos caiu 15 por cento em2007, para 500,5 milhões de unidades, com a indústria sendoafetada pela pirataria e pela competição com outras formas deentretenimento, como o videogame, de acordo com especialistas. Segundo a empresa de pesquisas do setor Nielsen SoundScan, esse é o maior declínio da industria desde que a companhiainiciou este tipo de análise, em 1993, afirmou um porta-voz daempresa. O auge foi em 2000, quando as vendas atingiram 785milhões de unidades. A venda de álbuns via Internet subiu 2,4 por cento, para30,1 milhões de unidades, mas foi um crescimento tímido anteaumento de 19 por cento em 2006. As vendas totais -- incluindo álbuns, singles e conteúdodigital -- subiu 14 por cento, para 1,4 bilhão de unidades,também abaixo dos 19 por cento de crescimento em 2006. O aumento mais expressivo foi o de 45 por cento em vendasde faixas digitais, para 844,2 milhões de unidades. Mas aindaassim, esse número ficou atrás do aumento de 65 por cento em2006. E o cenário deve piorar nos próximos quatro ou cinco anos,afirmou o agente musical Kenneth Kraus, sócio da Loeb & Loeb,que tem clientes como Kid Rock e Carrie Underwood. Kraus afirmou que a indústria desperdiçou muito tempo eenergia na disputa acerca da distribuição digital da música, eque "perdeu-se toda uma geração de crianças" que cresceufazendo download gratuito de música da Internet e que agoraresiste a pagar por ela. "Talvez leve outros cinco anos" para que a indústriafonográfica apresente um plano de preços viável que permita aosfãs fazer download de música sem restrição de cópias, afirmou. Os Estados Unidos são o maior mercado musical do mundo,responsável por cerca de um terço das vendas globais, segundo aInternational Federation of the Phonographic Industry (IFPI),um grupo londrino que representa a maior parte dos grandesselos musicais do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.