Vencedores do Pulitzer são anunciados em NY

Doubt, a primeira peça do escritor vencedor do Oscar John Patrick Shanley para a Broadway, venceu o Prêmio Pulitzer de 2005 na categoria teatro. Os prêmios foram anunciados nesta tarde. A peça de Shanley conta a história do confronto entre uma freira e um padre em uma paróquia do Bronx; ela suspeita que ele tenha molestado um estudante. Shanley, que escreveu várias peças de sucesso do chamado circuito off-Broadway, venceu o Oscar de melhor roteiro por Feitiço da Lua (1987). Sob a direção de Norman Jewinson, surpreende pela originalidade com que trata o tema do triângulo amoroso entre uma mulher (Cher) e dois irmãos, vividos na tela por Nicolas Cage e Danny Aiello.O Pulitzer de melhor obra de ficção foi conquistado por Marilynne Robinson, por Gilead, sua poética e moderna história de um moribundo pregador do Estado norte-americano de Iowa. Seu primeiro romance, Housekeeping, foi lançado em 1980, e foi indicado ao Pulitzer."É uma coisa tão particular escrever um livro, e quando estou escrevendo eu não consigo pensar se vai agradar outras pessoas", disse Marilynne, professora da Universidade do Iowa. "É tão bom que as pessoas gostem". O Pulitzer, patrocinado pela Universidade da Columbia, premia jornalistas, escritores e músicos de destaque na sociedade americana. Existe desde de 1917 e foi criado pelo empresário norte-americano Joseph Pulitzer, editor e proprietário do New York World.David Hackett Fischer, professor na Universidade Brandeis, ganhou o prêmio de História, por Washington´s Crossing. Suas obras anteriores incluem Paul Revere´s Ride. Mark Stevens e Annalyn Swan venceram na categoria de biografia, por de Kooning: An American Master. Sua abrangente biografia do artista levou dez anos para ser escrita, seguindo de Kooning desde seu trabalho como um expressionista abstrato até suas batalhas contra o alcoolismo e o Alzheimer. Stevens é atualmente crítico de arte para a revista New York, enquanto Annalyn é uma veterana repórter de revista que trabalhou para a Time e Newsweek. O poeta norte-americano Ted Kooser venceu o Pulitzer por sua obra Delights and Shadows. Kooser, que mora em Garland, Nebraska, é um executivo da área de seguros que foi nomeado para sua atual posição em agosto. Ele escreveu dez coleções de poesia e seu trabalho já foi publicado em uma série de periódicos, inclusive o The New Yorker, The Hudson Review e Prairie Schooner. Steve Coll ganhou seu segundo Pulitzer, vencendo na categoria não-ficção por Ghost Wars: The Secret History of the CIA, Afghanistan and Bin Laden, from the Soviet Invasion to September 10, 2001. Em 1990, enquanto trabalhava no sul da Ásia pelo The Washington Post, ele venceu o Pulitzer por jornalismo explicativo. Autor de quatro livros, ele é agora editor associado do Post. Por fim, Steven Stucky venceu na categoria música por Second Concerto for Orchestra. Sua obra vencedora estreou em março e foi apresentada pela Filarmônica de Los Angeles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.