Velocista na galeria: não se preocupe, é arte

A mais recente instalação do artistabritânico Martin Creed levará um atleta a atravessar correndouma galeria de Londres a cada 30 segundos durante os próximosquatro meses. Intitulada "Trabalho No. 850," a instalação á patrocinadapela Sotheby's e será montada na terça-feira na galeria deescultura neoclássica da galeria Tate Britain, com 86 metros decomprimento. Creed, que em 2001 recebeu o cobiçado Prêmio Turner por umainstalação feita de uma sala vazia em que uma luz se acendia eapagava, explicou em comunicado à imprensa: "Gosto de correr. Correr é o oposto de ficar parado. Sevocê pensar na morte como sendo a imobilidade total e nomovimento como sinal de vida, então o movimento mais rápidopossível é o maior sinal de vida. Assim, correr rápido é como ooposto exato da morte: é um exemplo de estar vivo." O diretor do Tate Britain, Stephen Deuchar, descreveu otrabalho como "convincente, simples e lírico." "Ele derruba qualquer idéia preconcebida sobre a maneiraapropriada de se percorrer um espaço de arte", disse ele. Creed contou que teve a idéia da instalação durante viagemque fez às catacumbas dos monges capuchinhos em Palermo, naSicília. Chegando à cripta cinco minutos antes do horário defechamento, ele tinha apenas cinco minutos para percorrer omuseu e foi obrigado a correr para poder ver o máximo possíveldo espaço. Em seu site na Internet, o Tate Britain avisa aosvisitantes: "Por razões de segurança, pedimos que o público nãocorra ou crie obstáculos aos corredores." (Por Mike Collett-White)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.