Veja o melhor da arte de rua de SP (que não está no Masp)

Aqui, você vê as obras 'de rua mesmo' dos artistas da mostra 'De Dentro Para Fora/De Fora Para Dentro'

Marina Vaz, do Guia (fotos de Felipe Lopez/Divulgação),

19 de novembro de 2009 | 18h23

A arte urbana é efêmera por natureza – não se pode prever, por exemplo, quanto tempo um grafite vai permanecer em um muro da cidade. Mas a arte urbana que você vai ver no Masp a partir desta sexta, 20, tem data marcada para desaparecer: dia 5 de dezembro. Carlos Dias, Daniel Melim, Ramon Martins, Stephan Doitschinoff, Titi Freak e Zezão são os artistas contemporâneos que integram a exposição "De Dentro para Fora/De Fora para Dentro", que deve se tornar um marco na história da arte brasileira. Desde que foi inaugurado, em 1947, o Masp já recebeu obras de diversos grandes mestres, como Monet, Salvador Dalí, Michelangelo e Picasso. Desta vez, porém, o museu abre espaço para uma arte cuja história está sendo escrita agora.

 

Esta história está resumida abaixo, com fotografias de obras de quatro desses artistas espalhadas por São Paulo. Você pode ver as origens de cada um e como o trabalho nas ruas influenciou as criações que, agora, eles levam ao museu. Aproveite porque algumas das imagens abaixo, como é próprio de sua natureza, já não existem mais...

 

---

 

ZEZÃO

 

Ele era skatista. Mas uma lesão o afastou do esporte. Um amigo sugeriu que ele substituísse o passatempo pelo grafite. As primeiras letras surgiram no muro do quintal. Para fugir da repressão à prática, Zezão começou a pintar espaços menos visados, como galerias de esgoto. “Pinto para mim”, diz. “Pinto para esquecer.

 

Onde está (ou estava) a obra abaixo: Avenida Inajar de Souza (córrego).

 

 

---

 

CARLOS DIAS

 

Nascido em Porto Alegre, Dias começou desenhando capas de discos de bandas independentes. Até porque ele participava de algumas delas (Againe e Polara) como músico e compositor. Mas foi nas artes plásticas que Dias se encontrou. Em 1999, já em São Paulo, passou a colar pôsteres nas ruas.

 

Onde está (ou estava) a obra abaixo: Rua Cardeal Arcoverde, esquina com a João Moura.

 

 

---

 

DANIEL MELIN

 

Melim nasceu em São Bernardo do Campo e passou a fazer grafites depois de observar pinturas com estêncil em uma pista de skate na cidade do ABC. Ele, que já fazia algumas telas, começou a experimentar o estêncil usando também tinta látex (em vez de spray), levando influências “da tela para a rua e da rua para a tela”, como gosta de dizer.

 

Onde está (ou estava) a obra abaixo: Escola Técnica Federal de São Paulo (Pari).

 

 

---

 

TITI FREAK

 

Ainda adolescente, Titi foi trabalhar como ilustrador nos estúdios de Maurício de Souza, o criador da ‘Turma da Mônica’. O grafite apareceu em sua vida anos mais tarde, em 1995, quando pôde unir influências da cultura japonesa e do mangá às técnicas de rua, como o uso do spray.

 

Onde está (ou estava) a obra abaixo: Rua Taguá, Liberdade.

 

 

---

 

Exposição "De Dentro Para Fora/De Fora Para Dentro

Masp. Av. Paulista, 1.578, 3251-5644. 11h/18h (5ª, 11h/20h; fecha 2ª).

R$ 15 (3ª, grátis). Até 5/2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.