Variedade no "Festa de Valdete"

A cozinha do A Festa de Valdete é super variada, com aperitivos, saladas, massas, risotos, aves, carnes, peixes e frutos do mar preparados de várias maneira, alguns mais simples e outros sofisticados e de acordo com influências de vários paises. Um cardápio que, de certa forma, reflete a carreira da chefe-proprietária, que já foi banqueteira e passou por muitas cozinhas.O restaurante representa a realização de um velho sonho da mineira Valdete, que aprendeu a cozinhar em sua casa de Uberaba e que construiu uma longa carreira profissional em São Paulo. Ela trabalhou durante uns 20 anos para a dupla Ricardo Amaral e José Vitor Oliva, passando por muitas casas como Banana Café, Gallery, Resumo da Ópera, La Tambouille e muitas outras. Foi também governanta da casa de Yara Baungarten. Valdete comandava a cozinha do Ábaco quando conheceu o seu sócio, o consultor da área de restaurantes Sérgio Chamma. Da sociedade, nasceu a oportunidade da casa própria. Para dar nome ao sonho, ela inspirou-se no delicioso filme de Gabriel Axel. Mas, infelizmente, não colocou no cardápio nenhum dos pratos preparados por Babette, magnificamente intepretada por Stephanie Audran no filme que dá fome: blinis Demidoff, cailles em sarcophage (codornas); sopa de tartaruga, veal quenelles e baba au rhum.A casa em si é simples, confortável e clara. Ela fica num flat da Alameda Lorena, que antes abrigou vários restaurantes, entre os quais o Saint Peter´s Pier. Na entrada, um pequeno bar e uma sala de estar completa, com belíssimos sofás de couro escuro, um lugar ideal para um aperitivo e, eventualmente, esperar uma mesa. Ao lado, o salão, com umas 20 mesas bem postas, cadeiras confortáveis, paredes claras com alguns quadros bem convencionais. O salão avança, na parte da frente, numa espécie de terraço fechado com janelões de vidro, que dá diretamente para a rua. O cardápio de Valdete é realmente variado e amplo, com nove entradas, sopas e aperitivos (entre R$ 7,90 e R$ 16,50); nove saladas (entre R$ 10,50 e R$ 12,80); nove massas (entre R$ 14,80 e R$ 18,50); seis aves (entre R$ 13,80 e R$ 26,50); 11 carnes (entre R$ 16,90 e 18,80); seis risotos (entre R$ 18,50 e R$ 28,20); nove peixes e frutos do mar (entre R$ 17,90 e R$ 35,90), além das sobremesas. Nos almoços, um bufê especial, com vários frios e três opções de pratos quentes, por R$ 13,90.Valdete já foi chamada de ?rainha da feijoada? e comandou os sábados no Banana Café e em outras casas de Ricardo Amaral. Agora, ela serve uma grande feijoada, com perto de 40 itens, em sua própria casa, aos sábados, por R$ 21,90.A cozinha de Valdete ainda precisa se afinar um pouco em sua nova casa, o que é natural. Mas já apresentou qualidades. Ela demonstrou ter boa mão para risotos, que realmente agradaram - são bastante úmidos e saborosos. Podem se afastar um pouco da tradição italiana, com o arroz mais mole, mas têm tempero gostoso, dão vontade de continuar comendo, notadamente o de frutos do mar, bastante rico. Muito saboroso o de funghi secchi, com bastante queijo, até um pouco demais. A lasanha representou muito bem a seção das massas no cardápio. Uma lasanha bem tradicional, abrasileirada, com presunto e um molho de carne muito saboroso. Um prato caseiro, gostoso.Altos e baixos nos pratos principais. A codorna do general, com manteiga de trufas não estava tão gostosa. Macia, molho saboroso, mas com toque de prato requentado. Interessante o arroz selvagem que acompanha.As costeletas de cordeiro são fritas à milanesa, o que não é nada comum. Fica difícil de comer, de cortar e separar os ossos e cartilagens da carne empanada. Além disso, passadas demais.Bom o filé à la broche, cortado em escalopes e com uma sauce berrnaise que poderia ter mais gosto do estragão, a erva aromática típica desse molho.Finalmente, gostoso, embora um pouco passado demais, o Saint Pierre d?Aldeia, grelhado com manteiga e amêndoas. O Saint Pierre é um peixe criado em lagoas, parente da tilápia, realmente muito saboroso.Serviço atencioso, mas ainda meio desencontrado. Poucos garçons no salão no dia da visita. Carta de vinhos curta, não muito atraente, e taças nada adequadas ao serviço. Café expresso muito bom. Um café do Cerrado com muito corpo e sabor.A Festa de Valdete - Alameda Lorena, 1160. Tel: 853-3681

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.