Valentino se aposenta criticando domínio empresarial na moda

As empresas arruinaram o mundo da moda, e jovens criadores se repetem insistentemente, disse o estilista Valentino, que prepara seu último desfile nas passarelas parisienses. Valentino Garavani afirmou na segunda-feira a jornais italianos que, depois de 45 anos vestindo a realeza européia e os astros de Hollywood, sonha em cuidar do seu jardim e desenhar figurinos para ópera. "O mundo da moda foi arruinado", disse ao jornal Il Messaggero o estilista de 75 anos, cujo prenome se tornou sinônimo mundial de glamour. "Fico bem entediado por continuar num mundo que não me diz nada. Há criatividade de menos e negócios demais. Os jovens estão todos fazendo as mesmas coisas", afirmou. Valentino, que vendeu sua grife para o conglomerado de investimentos Permira, é considerado ao lado de Giorgio Armani e Karl Lagerfeld como um dos últimos grandes estilistas de uma era em que a moda ainda não representava um negócio global, no qual executivos de finanças e marqueteiros são tão importantes quanto os costureiros. Sobre seus concorrentes italianos, Valentino disse que Armani "mudou a forma de vestir as mulheres", que Dolce e Gabbana "eram um pouco tímidos inicialmente, agora [são] um pouco arrogantes", e que Donatella Versace "é uma mulher que sabe vestir as mulheres". O estilo conservador de Valentino, com preferência para vestidos vermelho-vivo para a noite, sempre foi sucesso garantido nos eventos com tapetes vermelhos. Ele lamenta não ter estimulado um sucessor, mas sabe que Alessandra Facchinetti, ex-Gucci, segue seus passos. "Não nos encontramos. Eu dei alguns conselhos a ela, caberá a ela encontrar seu caminho. Lamento não ter tido tempo nem vontade de preparar um herdeiro", afirmou. Entre os planos para o futuro, um filme sobre si mesmo. "Talvez eu me dedique à jardinagem. Nunca tentei pôr minhas mãos na terra, mas amo flores", disse Valentino ao Il Giornale, acrescentando que sentirá falta de desenhar moda e que pretende criar figurinos para a ópera "La Traviata". Além disso, ajudará na preparação de um Museu Valentino, em Roma. Quanto ao último desfile, na quarta-feira, ele promete a presença na platéia de seus funcionários vindos de Roma e também de atrizes como Gwyneth Paltrow, Uma Thurman e Liz Hurley e das supermodelos Claudia Schiffer e Eva Herzigova. "Fiz esta coleção com muita alegria", disse Valentino ao Il Messaggero. "Coloquei 45 anos de experiência nas roupas. Quero mostrar o que realmente a costura é. Muitos fazem, poucos sabem fazer. Muitos deveriam tentar outra vez." (Reportagem de Marie-Louise Gumuchian)

REUTERS

22 Janeiro 2008 | 11h16

Mais conteúdo sobre:
MODA VALENTINOAPOSENTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.