Imagem Luis Fernando Verissimo
Colunista
Luis Fernando Verissimo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Val e a matéria escura

Essa sucessão de escândalos que nos desencantam, além dos fatos novos que diariamente alimentam as manchetes e nos mantêm numa expectativa constante - quais serão as revelações de amanhã, meu Deus? - também produzem personagens novos a cada guinada da trama. São coadjuvantes que têm seus 15 minutos de notoriedade sobre o palco e desaparecem, ou permanecem em cena e são decisivos para o desenlace do drama, embora também acabem esquecidos. Exemplos: o motorista que incriminou o Collor, a moça da camiseta transparente que quase derrubou o Itamar. Os protagonistas principais do maior escândalo atual, o da Petrobrás, como o juiz paranaense que puxou a ponta de um fio que pode muito bem pôr um governo abaixo, e os tomadores, pagadores e beneficiários das propinas são conhecidos e, como personagens, convenhamos, têm pouco brilho. Faltava surgir um coadjuvante iluminado no meio dessa massa cinzenta. E surgiu a Val Marchiori.

Luis Fernando Verissimo, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2015 | 02h07

Os jornais a chamam de socialite. "Socialite" não é um termo que você colocaria no seu cartão de visitas como descrição de emprego ou posição. É uma atividade mais do que uma profissão. Nada contra. Socialites geralmente são mulheres finas, extrovertidas, com um talento acima de qualquer outro, para a vida social, portanto para as amenidades da vida. Val entrou na história porque tomou um empréstimo que está sendo investigado no Banco do Brasil, dirigido então pelo presidente recém-empossado da Petrobrás. Em que circunstâncias o empréstimo foi feito, se houve favorecimento, e por que, não interessa. O que interessa é ver se Val fará apenas uma ponta nessa trama ou se seu papel será importante, e sua participação um pequeno escândalo a mais, à margem do outro. De qualquer maneira, sua personalidade e seu sorriso são bem-vindos no palco.

Falei em massa cinzenta e me lembrei do que li, há dias, sobre a descoberta de que existe mais matéria escura no Universo do que se pensava. A descoberta, viva nós, é de cientistas brasileiros, entre outros. Antes, acreditava-se que a matéria escura só existia em galáxias distantes. Agora, encontraram evidências de que ela também existe em grande quantidade na região interna da nossa galáxia, a Via Láctea. Calcula-se que nosso Universo seja formado por 15% de matéria-matéria, detectável, e 85% da misteriosa e invisível matéria escura. O que isto tem a ver com a Val Marchiori? Nada. Talvez só seja aproveitável a ideia da matéria escura dos escândalos, que hoje parece permear tudo, também penetrando em lugares insuspeitáveis, como o seu mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.