Divulgação
Divulgação

Uruguaio Eduardo Galeano defende MST e Chávez na Fliporto

Autor de 'Veias abertas da América Latina' fez a palestra de abertura no festival literário da cidade baiana

Ubiratan Brasil, de O Estado de S. Paulo,

06 de novembro de 2009 | 15h56

Convidado para fazer a palestra de abertura da 5ª edição da Festa Literária Internacional de Porto de Galinhas, a Fliporto, o escritor uruguaio Eduardo Galeano defendeu, nesta quinta-feira, 5, a existência do Movimento dos Sem Terra, além de defender o presidente venezuelano Hugo Chávez.

 

Falando para uma plateia aproximada de cem pessoas, Galeano disse que o trabalho vem sendo desvalorizado no mundo atual. "Sofre quem defende sua forma de sobrevivência, daí minha opinião de que os MST deveria ganhar medalhas e não represálias", afirmou. Sobre o Chávez, o escritor uruguaio defendeu a disposição do presidente venezuelano em garantir as reservas naturais de petróleo. "Isso não é comum em mandatários de países que dispõem de um manancial como esse", afirmou ele, acreditando que Chávez vem sendo bombardeado de críticas justamente por suas virtudes.

 

Durante um encontro de líderes em abril, em Trinidad e Tobago, Hugo Chávez presenteou o presidente americano Barack Obama com aquele que é considerado a obra-prima de Galeano, Veias Abertas da América Latina (Paz e Terra). O livro, aliás, provoca reações distintas em seu autor. "Se me abriu as portas do mundo, tornando-me conhecido, ao mesmo tempo me tornou seu refém pois, mesmo publicado há mais de 30 anos, continuo ligado a ele", revelou Galeano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.