Universal ensaia dublagem, mas tem medo de perder mais público

O Universal Channel já anunciou que vai, sim, aderir à onda de dublagem que vem tomando conta da TV paga desde 2009, quando o setor passou a avançar a passos largos na expansão do número de assinantes. Mas ainda pisa em ovos para tanto. A ideia é oferecer as duas opções de áudio - legendagem e dublagem -, deixando o idioma à escolha do assinante. O problema é que nem sempre isso funciona e as falhas normalmente são justificadas pela operadora como um erro do canal, e vice-versa. Além disso, o diretor do Universal, Paulo Barata, acredita que a maioria do público, adepta à dublagem, não tem disposição nem hábito de testar os botões de seu controle remoto a fim de saber se lhe resta outra opção de áudio além daquela inicial. Prefere trocar de canal.

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2012 | 03h09

Único canal no ranking dos 20 mais vistos pelas classes A e B a ainda oferecer séries legendadas, o Universal ensaia com receio sua virada para áudio dublado como primeira opção disponível ao assinante. Em 2007, o Universal era o terceiro canal mais visto entre as classes A e B, e o 7º na preferência da classe C. Em 2011, com 13 milhões de assinantes em todo o País, o canal caiu para a 10ª posição no nicho A/B e para o 12º entre o público da classe C. Logo, a tendência à dublagem não é "culpa" da nova classe C, como tanto se apregoa. Há uma preferência por isso em todos os segmentos.

Vivo. Aos assinantes da Vivo, ex-TVA e Telefonica, o Universal Channel, ainda fora de seus pacotes, avisa que está negociando sua entrada na operadora.

Mirian Bottan já grava A Liga como nova repórter do programa da Band. Atriz e protagonista de ensaio nu na revista Trip, ela é, por enquanto, o único reforço da equipe, que perdeu Lobão e Sophia Reis.

Victor Haim, Rinaldo Escudeiro, Antônio Bernardo, Leo Batistelli, Duilio Sartori e as grifes Sta. Ephigênia e Oficina Itsue, de bicicletas estilizadas, são alguns dos artistas que já "expuseram" na novela Cheias de Charme, graças à galeria de Sônia Sarmento, personagem de Alexandra Richter.

Destino São Paulo, série em pós-produção pela O2 Filmes, ainda não tem previsão de estreia na HBO. Em seis episódios, o programa retrata um grupo específico de imigrantes em cada um, com bolivianos, judeus, argentinos e chilenos, africanos, coreanos e chineses.

A HBO tem hoje coproduções em andamento com mais de seis produtoras diferentes.

Andy Whitfield, protagonista da 1ª temporada da série Spartacus, morto aos 39 anos em razão de um linfoma, é alvo de documentário em produção por amigos cineastas, que ainda captam verba para o projeto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.