União Européia quer uso exclusivo do termo "champanhe"

A reunião comercial internacional marcada para setembro em Cancun, no México, pode representar o fim do uso genérico de palavras como "champanhe" e "burgundy" nos vinhos e "parmesão" nos queijos, se vingar uma exigência formal da União Européia. "Só poderão levar essas denominações os produtos que tenham procedência da Europa", disse hoje John W. Dudas, sobsecretário-assistente de comércio para assuntos de propriedade intelectual. Segundo Dudas, esta decisão foi tomada na reunião da Organização Mundial de Comércio celerada em Katar em novembro de 2001, para que seja usada nos produtos "um indicador geográfico" que assinale sua origem regional. Dudas disse que algumas palavras que a União Européia deseja agora que sejam eliminadas converteram-se em sinônimo de certos produtos em vários idiomas. Por isso, a OMC tem procurado saídas legais desde que foi firmado em 1994 um acordo sobre direitos de propriedade intelectual. Assim, os Estados Unidos continuariam usando as palavras "chablis" como sinônimo de vinho branco e "champanhe" como termo genérico para bebidas espumantes. Mas, a União Européia deseja agora radicalizar e os Estados Unidos são contrários à medida. A diretora da associação de produtores de bens de supermercados Sarah Thorn disse que "Se esta proposta for aceita vai solapar as proteções de marcas registradas e levará à exporpriação de nomes de produtos sem a adequada compensação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.