Unesco torna frevo pernambucano patrimônio da humanidade

Reunião em Paris contou com a presença da ministra da Cultura, Marta Suplicy.

Daniela Fernandes, BBC

05 de dezembro de 2012 | 13h45

Em reunião em Paris, com a participação da ministra brasileira da Cultura, Marta Suplicy, a Unesco tornou nesta quarta-feira o frevo pernambucano patrimônio imaterial da humanidade.

A decisão de incluir o frevo como "artes do espetáculo do Carnaval de Recife e de Olinda" na lista do patrimônio imaterial da humanidade foi anunciada na 7ª sessão do comitê intergovernamental de proteção desta área da Unesco (braço da ONU para educação, ciência e cultura), formado por 24 países.

O objetivo é proteger essa tradição do Nordeste brasileiro para que ela se mantenha viva.

"O frevo é uma tradição artística muito dinâmica, na qual podemos encontrar expressões que mudaram ao longo dos anos, mas que permaneceram importantes na realização do Carnaval de Recife", afirmou a Unesco.

"Estimamos que a inclusão de um evento tão festivo e inclusivo pode contribuir para a criatividade da humanidade."

'Identidade imaterial'

Marta Suplicy participou da reunião da entidade, com sede em Paris. "Essa decisão representa o reconhecimento dos progressos de nossa política de proteção do patrimônio cultural imaterial", afirmou a ministra na reunião, em um discurso em francês.

A votação foi rápida, já que nenhum dos representantes dos países-membros do comitê pediu informações complementares ou fez objeções.

Após a votação, uma música frevo foi tocada durante alguns instantes.

O patrimônio imaterial da humanidade, segundo a Unesco, se refere às práticas, representações, expressões e conhecimentos transmitidos por várias gerações e que representam o sentimento de identidade de uma comunidade.

Ele é considerado "imaterial" porque sua existência e transmissão dependem da vontade humana, diz a entidade da ONU.

"O patrimônio imaterial é vital para manter a diversidade cultural no mundo globalizado", afirma a Unesco.

Tango e gastronomia

O tango argentino e a gastronomia francesa são algumas das tradições já inscritas na lista da Unesco do patrimônio cultural imaterial da humanidade.

No ano passado, o Yaokwa, ritual da tribo indígena brasileira Enawene Nawe, do sul da Amazônia, integrou a lista do patrimônio imaterial da Unesco que necessita de proteção urgente (outra classificação realizada nessa categoria), devido ao desmatamento e às atividades de mineração na região.

Até o final do ano passado, a lista do patrimônio cultural imaterial da Unesco reunia 232 elementos, sendo 33 deles na América Latina e no Caribe.

A lista está sendo ampliada nesta 7ª sessão do comitê interministerial, até sexta-feira.

Além do frevo do Recife, também foram incluídas na lista nesta quarta-feira cinco expressões culturais de países como Argélia, Armênia, Áustria e Bolívia. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
brasilunescoartesfrevoalsoonucultura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.