Unesco intensifica luta contra tráfico de bens culturais

Calcula-se que o comércio ilegal movimente cerca de 6 bilhões de dólares anuais

O Estado de S. Paulo

20 de novembro de 2013 | 20h42

A Unesco vai elaborar nos próximos dois anos uma nova recomendação contra o tráfico ilícito de bens culturais, depois de aprovar ontem uma resolução que determina como insuficientes os instrumentos jurídicos existentes para coibir a prática. A Unesco busca assumir uma posição de liderança nessa questão e quer promover o papel dos museus na luta contra o contrabando.

O texto será elaborado em colaboração com o Conselho Internacional de Museus e deve estar pronto até a próxima conferência geral das Nações Unidas, em 2015. Países latinoamericanos como o México foram os maiores impulsores da iniciativa.

Calcula-se que anualmente o comércio ilegal de bem culturais movimente cerca de 6 bilhões de dólares, frente a 40 bilhões mobilizados pelo mercado formal. Com essa recomendação espera-se revitalizar a convenção da Unesco de 1970 contra o tráfico de bens culturais, cujos estados participantes se encontraram apenas duas vezes.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.