UnB busca recursos para terminar centro de artes

Desde 1989, a Universidade deBrasília (UnB) está trabalhando para que um de seus projetos, oComplexo das Artes, seja completamente instalado em seu campus.Originalmente, seriam seis edifícios dedicados ao ensino e àprodução em diversas áreas artísticas mas, por causa da falta derecursos, a universidade reduziu o projeto a um único prédio, oEdifício Oficinas Especiais, que já está construído, mas precisade recursos para sua infra-estrutura. A iniciativa foi aprovadapelo Ministério da Cultura em 1994 e, desde então, a UnB vemcaptando recursos para tornar realidade o Complexo das Artes. Vale dizer que esse foi o primeiro projeto beneficiadodiretamente pelo Mecenato da Secretaria de Patrimônio, Museus eArtes Plásticas. Até agora, foram captados cerca de R$ 2 milhões, montante usado na construção do prédio inaugurado neste ano.O edifício, em estilo contemporâneo, foi erguido em uma área demais de 3 mil metros quadrados e oferece aos alunos e ao público salas dedicadas às artes cênicas, aoestudo da pintura e do desenho e um teatro com palco móvel, quepode ser erguido ou abaixado de acordo com a necessidade de cadapeça encenada. Mas é como se houvesse somente um esqueleto. Faltadinheiro para fechar toda a concepção do projeto e realizar acompra e instalação de equipamentos. Pela lei de incentivo, aUnB ainda pode captar R$ 1.512.659,00. O problema é o prazo: auniversidade tem somente até o próximo dia 31 para conseguir patrocínio."Seria uma pena perder essa oportunidade", diz a diretora doInstituto das Artes (como é chamado o prédio), SuzeteVenturelli. Equipamentos como computadores, a instalação da redeelétrica do prédio, armários embutidos, banheiros, um projetocênico para a finalização do teatro - que inclui a colocação deluzes e até mesmo um serviço de paisagismo - são algumas das etapas que ainda precisam ser feitas para que o prédio fique pronto. Somente a partir da estruturação física do prédio serápossível oferecer com autonomia e qualidade as oficinas deteatro e cenografia, dança, corpo e voz, pintura e desenho paraos alunos da instituição. Pelo projeto, simultaneamente, 783estudantes de graduação, pós-graduandos e os alunos dos cursosde extensão seriam diretamente contemplados. Isso englobandomestrado em artes e tecnologia da imagem; licenciatura emeducação artística; bacharelado em interpretação; pintura;escultura; teoria da história da arte; gravura; desenhoindustrial; desenho artístico; música; trompete; violoncelo;piano; trompa; saxofone; violão; flauta; contrabaixo; fagote;oboé; clarineta; canto; composição e regência; violino; e viola,entre outros. Como o prédio está em situação precária, as aulaspráticas estão prejudicadas. Produção Cultural - Mas é importante ressaltar que oInstituto das Artes não será somente um espaçode ensino, mas, principalmente, um espaçoexpositivo da produção cultural de Brasília. "Cerca de 90% doque é feito na área cultural no Distrito Federal vem da UnB",diz Suzete. A proposta da universidade é que o Complexo dasArtes seja um espaço de visibilidade dessa produção, um"instituto presente na sociedade", nas palavras da diretora. Para tanto, a finalização do teatro é fundamental paraa disseminação da produção cênica dos alunos. A UnB investiudinheiro para a criação do projeto, já em 1989, mas agora épreciso ir atrás da iniciativa privada. O projeto do Complexo das Artes ainda prevê um espaçoque poderia se transformar em um auditório para a realização deeventos, seminários e congressos nacionais e internacionaisvoltados às artes. Como conta Suzete, o instituto é aindaresponsável pelas publicações de pesquisas dos mestrados,revistas e cadernos de artes com textos dos alunos. Desde a criação da Universidade de Brasília, no começoda década de 60, logo após a cidade ser criada para ser a capital doPaís, havia o Instituto Central de Artes, voltado a todas asáreas artísticas como a música, artes cênicas, artes visuais ecinema. Mas, durante a ditadura militar, o instituto foifechado. Depois desse período, foi fragmentado, e em 1989 foipensado o projeto do Complexo das Artes para reunificar todas asáreas artísticas. Os interessados nessa proposta da UnB devem entrar emcontato com a diretora do instituto, Suzete Venturelli, nostelefones (0--61) 307-2320 e (0--61) 9601-4841, ou com aprofessora Adelaide Cristina de Oliveira, do Departamento deArtes Cênicas, nos telefones (0--61) 307-2657 e (0--61)9958-7055.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.