Umberto Eco diz que intelectuais deveriam falar sobre o futuro

Os intelectuais deveriam falar mais sobre o futuro em vez de refletir somente sobre o presente, disse nesta quinta-feira, 12, em Budapeste, o escritor italiano Umberto Eco, na abertura do 14.º Festival Internacional do Livro.Eco e a literatura canadense são os convidados de honra do evento. O escritor assegurou em um encontro com os seus leitores que "não penso que os intelectuais tenham que dizer sempre alguma coisa" e acrescentou que sua responsabilidade é falar sobre assuntos que não aparecem no discurso geral."Não tem sentido fazer um protesto contra a pedofilia, já que é algo que todo mundo rechaça", afirmou Eco.Ao referir-se à criação literária, Eco explicou que só pode escrever sobre coisas que já viveu ou que conhece e que se inspira muito "na História, porque tem muitas histórias interessantes".Também afirmou que não se considera um escritor italiano, "mas bem europeu e mais concretamente centro europeu".O Festival do Livro é o evento mais importante da Hungria sobre criação literária e a cada ano conta com um escritor e um país como convidados de honra. Em 2006 os homenageados foram a Espanha e o escritor Jorge Semprún.Um dos programas de destaque do festival deste ano, que vai até domingo, será o encontro dos escritores de 18 países que publicaram recentemente seu primeiro título.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.