Teresa Isasi/Divulgação
Teresa Isasi/Divulgação

Uma visão brasileira do espanhol Lope de vega

Andrucha Waddington refaz trajetória do dramaturgo

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2010 | 00h00

Sobra competência na feitura da cinebiografia do dramaturgo espanhol Lope de Vega (1562- 1635) dirigida pelo brasileiro Andrucha Waddington. Ao mesmo tempo, falta-lhe alguma coisa. Essa lacuna talvez tenha sido sentida pelos espanhóis, que não lhe deram a devida importância. Quando o filme passou em Veneza, alguns conterrâneos do poeta e homem de teatro comentaram que a história havia ficado "plana" demais, sem as arestas e o brilho que mereciam a extraordinária trajetória do personagem.

Lope (Alberto Ammann) volta da guerra e chega a Madri cheio de ambição. Sem um tostão de seu, é obrigado a se empregar como copista na casa de um teatrólogo estabelecido e burocrático. Apaixona-se pela filha do patrão, Elena (Pilar López de Ayala). Outra mulher entrará em sua vida, sua amiga de infância Isabel (a linda Leonor Watling, atriz de Almodóvar). A batalha de Félix Lope de Vega é pelo amor, mas também e fundamentalmente pela arte. Numa das melhores sequências, ele redimensiona uma peça até então encenada de maneira banal e lhe empresta graça e ardor. Como Shakespeare, entende que o público quer cheiro de vida naquilo que vê. Quer ver-se no palco, quer se saber parte da história a que assiste - e esse é o sentido último de qualquer arte. Nessas condições especiais, ela, a arte, diz respeito a todos e não apenas a um punhado de especialistas e críticos. Lope é desses autores muito populares em seu tempo e que atravessaram os séculos banhados pela aura de clássico.

Esse signo da paixão está lá, explícito no conteúdo do filme, mas nem tanto em sua forma. Se ficamos satisfeitos ao saber mais sobre o personagem Félix Lope de Vega, terminamos insatisfeitos por ver sua época e espírito recriados na tela de maneira um tanto acadêmica. Faltou um tempero mais profundo e apimentado a essa cinebiografia em seu todo bastante correta.

LOPE

Cine

Livraria Cultura 1 - Hoje, 21h30

Cinemark Eldorado 7 - Sábado, às 21 horas

Unibanco Arteplex 3 - Domingo,às 15h10

Cinemateca- Sábado (30), 16h30.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.