Uma viagem em direção ao outro

Uma viagem em direção ao outro

‘Eu e Você’, livro que inspirou novo filme de Bernardo Bertolucci, trata da aproximação entre duas pessoas

André de Leones, Especial para O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2014 | 23h03

Eu e Você é o sexto romance do italiano Niccolò Ammaniti. Seu lançamento no Brasil pega carona na adaptação cinematográfica dirigida por Bernardo Bertolucci e que estreou por aqui há alguns dias. Tanto o livro quanto o filme - e sobretudo o livro - conseguem transmitir a extrema sensação de inadequação que constitui o protagonista e que, inadvertidamente, permite que ele se reconheça noutra pessoa e dela se aproxime.

Ammaniti começou a se fazer notar em meados da década de 1990, ao integrar a antologia Giuventù Cannibale, organizada por Daniele Brolli e na qual também figuravam Luisa Brancaccio e Stefano Massaron. Em 2001, foi agraciado com o Prêmio Viareggio por seu terceiro romance, Não Tenho Medo, o qual se tornou um sucesso de vendas e também chegou aos cinemas, no caso pelas mãos de Gabriele Salvatores, cineasta vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro por Mediterrâneo.

Em Eu e Você, é a voz do protagonista Lorenzo que domina a narrativa. Talvez todos sejamos solitários aos quatorze anos, mas Lorenzo é completamente avesso ao convívio social. Tal aversão é diretamente proporcional às suas capacidades dramáticas e de adaptação, e ele se movimenta pelo selvagem ambiente escolar como melhor lhe apetece, isto é, passando o mais despercebido possível. No entanto, é bem mais complicado se desvencilhar da onipresença e das preocupações maternas. Para que ela se preocupe menos, Lorenzo inventa que fará uma viagem com alguns colegas de escola. Na verdade, ele passará uma semana escondido no porão do próprio prédio onde vive, lendo, ouvindo música e jogando videogame.

Tudo sai conforme o planejado até o momento em que Olivia, a meia-irmã nove anos mais velha, com quem ele nunca teve muito contato, irrompe no esconderijo. Viciada em drogas e tentando se desintoxicar para, segundo diz, viajar para a Indonésia e encontrar "uma espécie de namorado que mora em Bali", a fim de descobrir se ainda estão juntos e, caso estejam, "tentar ser realmente a mulher dele", Olivia não poderá sair dali. As circunstâncias, é claro, forçarão uma aproximação entre os dois.

Em vista de tudo isso, Ammaniti abraça uma sutileza surpreendente na maneira como conduz o seu pequeno romance. Ancorado na sensibilidade e na inteligência incomuns do narrador, acaba por edificar um belo relato sobre como duas personalidades distintas, mas similares em sua inadequação, criam e desenvolvem certa cumplicidade a partir do momento em que conseguem sair um pouco de si mesmas.

Assim, a beleza de Eu e Você está no fato de que, mesmo sem deixar o prédio onde mora, trancado naquele porão, Lorenzo empreende, no fim das contas, a única viagem que realmente importa nessa vida: aquela que, vez por outra, não sem um tremendo esforço, procuramos fazer em direção ao outro.

ANDRÉ DE LEONES É AUTOR DO ROMANCE TERRA DE CASAS VAZIAS (ROCCO), ENTRE OUTROS

Serviço:

EU E VOCÊ

Autor: Niccolo Ammaniti

Tradução: Joana Angélica D’Ávila Melo

Editora: Bertrand (160 págs., R$ 30)

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.