Uma reunião de obras fundamentais da ficção internacional

Da Antiguidade (Satyricon, de Petrônio) aos contemporâneos do século 20, a coleção Prosa do Mundo já publicou 13 romances, 5 peças de teatro e 7 narrativas curtas, reunindo tanto autores consagrados, vencedores do Nobel (Luigi Pirandello, François Mauriac, Elias Canetti e Samuel Beckett), como escritores pouco conhecidos dos leitores brasileiros, entre eles o dinamarquês Jens Peter Jacobsen (Niels Lyhne) e o húngaro Gyula Krúdy (O Companheiro de Viagem).

, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2011 | 00h00

Prosseguindo nessa linha, o próximo volume que a Cosac Naify vai lançar, revela o editor Cassiano Elek Machado, será uma nova tradução do escritor polonês Bruno Schulz (1892-1942), Lojas de Canela, junto a Sanatório, publicados anteriormente pela Imago. "Schulz é um dos autores mais requisitados no meio literário", conta Machado, informando que todos os livros da coleção já foram reimpressos - alguns mais de uma vez.

O clássico O Vermelho e o Negro, de Stendhal, segue como favorito absoluto. Já vendeu 10 mil exemplares. Nesses dez anos, alguns títulos receberam novas capas, como a trilogia do dramaturgo irlandês Samuel Beckett composta por Dias Felizes, Esperando Godot e Fim de Partida, que trazem desenhos assinados pelo expressionista abstrato canadense Philip Guston.

Machado destaca também as traduções feitas para a coleção e os ensaios que acompanham cada obra, assinados, entre outros, por Antonio Candido e Boris Schnaiderman.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.