Uma obra de arte para todos os leitores

Uma noite de autógrafos um tanto inusitada será organizada esta noite, a partir das 19 horas, no Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo. Mostrando que é possível reproduzir e disseminar em larga escala uma obra de arte sem com isso eliminar seu caráter autoral, a artista plástica Regina Silveira estará autografando para o público o ensaio visual Escada Inexplicável II, que preparou especialmente para o Projeto Inserções do terceiro número do Caderno T. A publicação, editada pelo Instituto Takano e que circula encartada na revista Bravo, tem por objetivo discutir os rumos da política cultural no País, mas também está servindo de veículo para a divulgação do trabalho de artistas selecionados especialmente pelos curadores Angélica de Moraes e Paulo Herkenhoff. A obra de Regina Silveira pertence a uma série de reconstruções visuais da perspectiva de uma escadaria, cuja primeira versão foi mostrada na mostra Por Que Duchamp? em 1999. E abre uma nova perspectiva para o Projeto Inserções. Além de ser uma mera reprodução de uma obra (como ocorreu com o trabalho de Arthur Barrio, que inaugurou o projeto), seu trabalho é um verdadeiro objeto de arte, apesar da fragilidade e do baixo custo. Na versão grande mídia, a obra ganhou um formato miniaturizado, mas que preserva o caráter tridimensional. Segundo o presidente do Instituto Takano, Marcos Weinstock, o Projeto Inserções é uma importante contribuição para a publicação, que já discutiu temas importantes como o direito autoral e os planos para a cultura das novas prefeituras de São Paulo, Porto Alegre e Belém, e dedica agora suas páginas à delicada relação entre os poderes público e privado no financiamento da arte e da cultura. Com entrevistas com os diretores do Itaú Cultural, Ricardo Ribenboim, e do Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), Cláudio Vasconcelos, e depoimentos do ministro da Cultura, Francisco Weffort, a publicação não pretende estabelecer de antemão qual é o caminho correto a ser tomado, mas ressaltar a importância do diálogo e do aperfeiçoamento do mecenato no País, seja ele público ou privado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.