Uma ''Missa'' de personalidades múltiplas

Eram tantas as personas do compositor Leonard Bernstein que é complicado afirmar que uma obra é significativa de sua personalidade. No caso da Missa, porém, é difícil não ver na mistura de teatro e música - agrupando estilos e gêneros dos mais diferentes - uma espécie de seu credo pós-moderno. A peça é uma boa porta de entrada para seu universo - em especial em uma leitura como a de Marin Alsop, aluna do compositor e suas grande defensora, que faz da Missa uma jornada empolgante em todas as suas contradições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.