Uma história documentada em livros

É ímpar o lugar que a Armazém Cia. de Teatro ocupa hoje. O grupo, que nasceu em 1987 em Londrina e logo se mudou para o Rio, possui hoje sede própria na Fundição Progresso. Além disso, desde 2000, também conseguiu manter um patrocínio constante, o que assegura a continuidade de seus processos de criação.

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2011 | 00h00

É para registrar tudo isso que a Armazém já adotou o costume de dedicar-se a publicações que resgatem a sua memória. A última obra a ser lançada, em dezembro do ano passado, foi a Anjos, espetáculo de 2008 que marcou a trajetória do grupo. "Essa longevidade da companhia é extremamente importante. Decidimos que somos responsáveis por contar a nossa própria história", comenta o diretor Paulo de Moraes.

Escrita por Moraes ao lado de Mauricio Arruda Mendonça, Inveja dos Anjos partia do encontro de três amigos que dividiam suas lembranças. À beira de uma estação de trem, eles examinavam o poder que pode ter a palavra. E discutiam, justamente, a importância da palavra escrita. Uma história agora eternizada em livro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.