Cena de 'NCIS'
Cena de 'NCIS'

Uma década mergulhados no crime

Atores de 'NCIS' falam sobre longevidade da série, a substituição de Cote de Pablo e o spin-off rodado em Nova Orleans

João Fernando/ Los Angeles, O Estado de S.Paulo

10 de novembro de 2013 | 02h16

Estar na pele dos mesmos personagens há dez anos não é motivo de reclamação para o elenco de NCIS. Entretanto, de tanto assistir à atração, até as pessoas próximas dos atores já os confundem. "Às vezes, minha mãe me chama de Tony", brinca Michael Weatherly, intérprete do agente Anthony DiNozzo na trana, cuja 11.ª temporada já está no ar no Brasil todas as terças, às 22 horas, no AXN.

Mark Harmon, que encarna Leroy Gibbs, chefe do fictício time de agentes que investiga crimes em Washington, jura não ter enjoado da função após uma década. "Não há nada de errado em amar o próprio trabalho. Trazemos novas histórias e desenvolvemos os personagens. Assim, ninguém fica entediado", defende Harmon.

Por causa da dedicação à série, o ator deixou convites para outras produções de lado. "Desde que entrei, só fiz uns três filmes. São dez meses por ano. E existe vida fora da série. Só temos seis semanas de férias. Tudo o que você quer é descansar", disse Harmon ao Estado durante entrevista coletiva.

Segundo Michael Weatherly, é complicado conciliar o trabalho com a vida pessoal no período de gravações. "Você não vai a casamentos nem funerais, não sabe a sua agenda", lamenta o ator, que faz graça sobre a pressão que sofre para não atrasar o cronograma. "Vou ao banheiro acompanhado por um cara com um rádio. Ele fica narrando tudo o que está acontecendo", diverte-se. Para ele, o segredo do sucesso é o entrosamento da equipe. "Só não digo que temos química porque parece que estamos falando sobre Breaking Bad. Prefiro dizer que há uma alquimia entre nós."

Frescor. Este ano, o elenco sofreu uma baixa quando Cote de Pablo, intérprete de Zina, pediu para sair quando já havia episódios escritos. "Ninguém sabia o que esperar da trama. Mas acho que os autores mostraram (nas falas dos personagens) como você se sente quando alguém parte", filosofa Weatherly. "Ficamos surpresos. Não sabíamos que iria acontecer, tivemos de lidar com a realidade. Mas tem gente nova chegando", reforça Mark Harmon.

No capítulo que vai ao ar nos EUA na semana que vem, a atriz Emily Wickersham entrará para o elenco fixo para preencher a lacuna deixada por Cote. Na pele da analista Eleanor Bishop, ela resolverá um crime em que um secretário da marinha se envolveu. O episódio só deve ir ao ar no Brasil em 2014.

Outra novidade para o ano que vem é um novo spin-off da série rodado em Nova Orleans. "Começamos a falar sobre alguns casos que aconteceram por lá. A intenção é fazer pelo menos dois episódios e, talvez, abordar situações reais. Será com gente no nosso elenco fixo e também convidados. Vamos gravar na primavera (outono daqui)", adianta Harmon. "Quem sabe o DiNozzo não estará lá?", provoca Weatherly.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.