Uma ação entre trio de bambas do futebol e da música

Após 10 anos só se dedicando a shows, Sombrinha lança 'Matéria-prima', com participação de Chico e Arlindo Cruz

ROBERTA PENNAFORT / RIO , O Estado de S.Paulo

28 Setembro 2013 | 02h17

De Chico Buarque, ele é amigo e parceiro de pelada há mais de dez anos. De Arlindo Cruz, compadre e parceiro, com quem lançou cinco discos e divide sucessos como Só Pra Contrariar (também com Almir Guineto) e Ainda É Tempo Pra Ser Feliz (com Sombra). Com os dois, Sombrinha compôs Deixa Solto, faixa do CD Matéria-prima, que está lançando depois de dez anos só se dedicando a shows. Além da convivência semanal entre as quatro linhas, no campo do Polytheama, no Recreio, zona oeste do Rio, e até no Paristheama, a versão francesa do time, Sombrinha e Chico se encontram nos espetáculos promovidos em prol da Mangueira. Num desses, Chico chegou com uma letra.

"Ele cantou a primeira parte da letra e me pediu para terminar. Isso foi há uns dois, três anos. Resolvi chamar o meu compadre Arlindo, que é muito fã dele. É nosso ídolo, então nada melhor do que fazer essa parceria", conta Sombrinha.

O CD é uma verdadeira ação entre camaradas. A produção é de Arlindo. O samba tem participação de Chico, da Velha Guarda da Mangueira e do bandolinista Hamilton de Hollanda, padrinho de casamento de Sombrinha. Chico também canta com Sombrinha no samba romântico A Flor Que Eu Não Esqueço, parceria dele com Nilton Barros e Marquinho PQD.

Em 1986, quando Sombrinha ainda integrava o Fundo de Quintal, banda que fundou com Jorge Aragão, Almir Guineto, Bira, Ubirani e Sereno (saiu em 1991), Chico e Caetano gravaram o sucesso do grupo Não Quero Saber Mais Dela (Sombrinha/Guineto), em seu especial na TV Globo, com participação de Beth Carvalho.

O lateral esquerda e o centroavante dono da bola só se aproximaram mais pro século 21. Deixa Solto aconteceu antes de o repertório se definir. "Estou sempre compondo, então tinha muito material guardado, antigo e mais recente. Nem pensei no que significa a parceria com o Chico, tê-lo no disco. A gente tem uma amizade forte, mas pouco fala de música. Fiquei surpreso quando ele mostrou a primeira parte. Demorei mais de um ano para fazer. Quando mostrei o resultado, ele ficou contente à beça", recorda ainda Sombrinha.

Um vídeo de Deixa Solto gravado no Estúdio dos Técnicos está no YouTube e foi compartilhado no Facebook pelo perfil de divulgação de Chico.

Música inédita assinada por ele não aparece desde Chico, o disco de 2011. Seguindo a alternância música-literatura-música que vem desde 2003, ano de lançamento do livro Budapeste, o compositor está em Paris, para se concentrar na escrita.

"Se for pra me deixar, me deixa solto

Me deixa andar, me deixa vadiar, arruma outro

Quando um coração não bate bem

É porque ninguém é de ninguém

Se não tem razões para insistir

Você segue por lá

Que eu vou por aqui

Por favor, me deixa ir, me deixa andar

Quero ver na praia o sol raiar

Ver lindas morenas bronzear

Relembrar antigos carnavais

Você pode ir em frente, sem olhar pra trás

Por favor, me deixa em paz, me deixa caminhar"

(Chico Buarque/Sombrinha/

Arlindo Cruz)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.