Um mergulho nos bastidores da Igreja Católica

No embalo do sucesso da novela bíblica Os Dez Mandamentos, da Record, o canal History vai apresentar na próxima quinta-feira, 3, uma boa sequência de atrações para quem se interessa pelos bastidores da fé.

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2015 | 02h04

A imersão começará às 21hs com uma reportagem de fôlego sobre a conturbada relação da Igreja Católica com o dinheiro. Conduzido pelo historiador John Dickie, o especial Dinheiro Sagrado esmiúça os escândalos recentes que envolvem a instituição religiosa mais rica do mundo e mostra como funcionam as engrenagens que movem um império de negócios com dimensão global.

Além de empregar milhões de pessoas, a Igreja Católica é uma multinacional que atua em diversos nichos: hospitais, universidades, imóveis, reservas de ouro e obras de arte de valor incalculável. Beneficiária de doações de todo o planeta, ela padece de problemas comuns nas grandes corporações.

O programa do History revela o alcance dos delitos financeiros, que vão dos altos escalões do Vaticano até paróquias locais.

Entre os rumorosos casos investigados por John Dickie, o que mais surpreende é a história do cardeal americano que supostamente escondeu ativos para reduzir a indenização a vítimas de abuso infantil. Há também a diocese na Eslovênia, que perdeu 800 milhões de euros em especulações financeiras; uma congregação religiosa que trocou patrimônio por favores políticos; um monsenhor preso por lavagem de dinheiro; e o desfalque nas doações dos fiéis nas missas.

O especial apresenta entrevistas inéditas com cardeais, especialistas, promotores, jornalistas investigativos e denunciantes e joga luz sobre a forma como a instituição, sob o comando do Papa Francisco, está tirando a sua sujeira debaixo do tapete.

Em seguida, às 22hs, o History estreia uma minissérie sobre a vida do Papa Francisco, que é baseada na biografia oficial do Papa, escrita pelos jornalistas Sergio Rubín e Francesca Ambrogetti.

Serão quatro capítulos de uma hora de duração cada que mostrarão a trajetória Jorge Mario Bergoglio desde seus dias como sacerdote na Argentina. A produção também aborda um tema sensível ao líder da Igreja Católica: o papel dele durante a ditadura militar argentina.

Sessenta atores e mais de 250 figurantes participaram das gravações, que foram rodadas em diversas locações: Roma, Vaticano, Ferroclub Argentino, Palacio Reconquista, Instituto Sagrado Corazón e Colegio Máximo São Miguel, entre outras.

A epopeia começa com o recém-empossado Papa Francisco decidindo deflagrar uma ofensiva contra a corrupção que assola o Banco do Vaticano e a má imagem da Igreja por causa dos padres acusados de pedofilia. Opositores e conservadores se opõem de diversas maneiras às primeiras ações tomadas por ele. A série termina com o Papa Francisco costurando o fim das disputas históricas entre Cuba e Estados Unidos.

Mais conteúdo sobre:
O Estado de S. Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.