Um mapa nacional da dança

Foram quase cem cidades pesquisadas e cerca de 3 mil planilhas para se chegar ao mapeamento da dança que o Itaú Cultural lança hoje. Com três livros e sete DVDs, o conjunto Cartografia Rumos Dança é abrangente: traz entrevistas, reflexões e registros em vídeo dessa etapa do projeto que está em sua quarta edição. Seu grande trunfo, porém, é o raio-x que pode ser traçado a partir da análise desses dados, compilados por pesquisadores de 13 universidades brasileiras ao longo de dez anos. "Precisamos conhecer um contexto um pouco maior para falar com propriedade sobre quais são os problemas. As situações de Rio, São Paulo e Minas são exceções, não a regra", comenta Sonia Sobral, gerente do núcleo de Artes Cênicas do Itaú Cultural.

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2010 | 00h00

Não, por acaso, as diferenças entre centro e periferia ocupam lugar de destaque na pesquisa, que também revela o gargalo causado pela descontinuidade das políticas e um crescimento exponencial dos cursos superiores de dança no País.

O Rumos, que a cada nova edição financia o desenvolvimento de projetos na área, lançou luz este ano sobre a questão dos processos de criação. Em sua primeira etapa, foram selecionadas 21 propostas de artistas de diferentes regiões do Brasil. Agora, quatro deles - Adriana Banana, Telma Bonavita, Wagner Schwartz e Marta Soares - apresentam as versões finalizadas de seus espetáculos.

RUMOS DANÇA

Itaú Cultural. Avenida Paulista, 149, 2168-1776. 4ª, 14h30 (debates); 5ª a sáb., 20h; dom., 19h (espetáculos). Grátis. Até 5/12.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.