Um longo olhar para a produção nacional

Na 18ª edição, a mostra da coleção Pirelli/Masp recebe vários Estados

Simonetta Persichetti / ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2010 | 00h00

Resgate. Imagem criada pelo americano George Love, que chegou ao País nos anos 1960        

 

 

 

Algumas iniciativas inéditas em relação à fotografia brasileira dão certo, muito certo! É o caso da coleção Pirelli/Masp criada em 1991 e que chega agora à sua 18.ª edição, que começa amanhã no Masp. Não é fácil todo ano selecionar cerca de 20 fotógrafos brasileiros ou residentes no Brasil. Obviamente, neste período tivemos desequilíbrios gritantes, fotos ainda cruas para pertencerem a uma coleção desse porte, que muitas vezes apenas respondiam a um modismo midiático momentâneo, ou a um entusiasmo passageiro.

Por outro lado, a curadoria do evento - que desde o ano passado se abriu e tem cocuradores convidados - fez resgates de personagens vitais para o desenvolvimento da linguagem fotográfica no Brasil. São esses os trabalhos que, sem dúvida, vão ficar e colocar a coleção como uma das fundamentais da nossa história, parte integrante de nossa memória.

Nesse sentido, mais que merecida e atrasada, a homenagem feita ao fotógrafo americano radicado no Brasil George Love (1937-1995). Verdade seja dita, algumas de suas imagens fazem parte da coleção desde 1992, mas sem o merecido destaque. Lacuna sanada nesta edição. Infelizmente pouco lembrado ou conhecido por aqui, George Love foi fundamental para a discussão do fazer fotográfico no Brasil. Muitos autores jovens nem sabem que devem parte de seu olhar às aulas que ele - junto com a sua então mulher Claudia Andujar, ministravam no Masp no fim dos anos 1960. Em termos de fotojornalismo mais de fotografia, muito se deve a George Love.

Nascido nos Estados Unidos, na Carolina do Norte, estudou filosofia e matemática aplicada. Chega ao Brasil nos anos 1960 e começa a colaborar com revistas como Quatro Rodas e Realidade, Claudia, Bondinho. Durante três anos editou a revista Fotografia e também foi professor no Masp. Nos anos 1980 colabora com a Eletropaulo, ocasião em que organizou e recuperou a documentação fotográfica da companhia sobre a cidade de São Paulo. Como escreve no catálogo da exposição o curador Rubens Fernandes Junior: "A série selecionada para ampliar sua participação na Coleção Pirelli-Masp, que integra desde sua segunda edição, realizada em 1992, é parte de sua produção limítrofe, ou seja, entre o documental e o experimental, em que as relações entre luzes e sombras são radicalizadas para um registro de cor fora do padrão fílmico, e alguns grafismos são criados com a finalidade de provocar intrigantes sensações visuais."

Ainda no fotojornalismo merece ser lembrado Anísio Carvalho que inicia a colaboração com a imprensa baiana na metade dos anos 1950 no Jornal da Bahia. Registrando acontecimentos importantes da capital, destacam-se nesta mostra, que vai até 3 de outubro, os retratos de personalidades da cultura local.

Também é homenageado nesta edição Luiz Hossaka (1928- 2009), que durante dez anos fez parte do conselho curador da coleção. Começou a trabalhar no Masp nos anos 50, sendo responsável pela documentação histórico-fotográfica do museu.

Outros profissionais que integram a exposição se dividem entre cinco Estados brasileiros, na tentativa de apresentar uma pluralidade de linguagens. Sãos eles: do Pará, Alberto Bitar, Octavio Cardoso, Mariano Klautau, Alexandre Sequeira e Guy Veloso; da Bahia, Iêda Marques, Bauer Sá e Maria Sampaio; de Minas Gerais, Marco Mendes e Marcio Rodrigues; do Rio de Janeiro, Ivan Cardoso; e de São Paulo, Ricardo Barcellos, Marlene Bergamo, Cia. de Foto e Gustavo Lacerda. Para ajudar a fazer essa seleção o conselho curador contou com a ajuda de dois curadores convidados Aristides Alves de Salvador e Luiz Braga de Belém.

Com esta edição a coleção alcança o número de quase 300 fotógrafos e mais de mil fotografias. Sem dúvida, um belo panorama da fotografia brasileira a partir de 1950.

Serviço:

COLEÇÃO PIRELLI/MASP DE FOTOGRAFIA - 18ª EDIÇÃO

Em exposição: De 12 de agosto a 3 de outubro, na Galeria Horácio Lazer, 1º andar. Vernissage: 11 de agosto, 19h30. Coordenação: Anna Carboncini. Apoio: Pirelli. Produção e Montagem: Equipe do MASP.

MASP - Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Av. Paulista, 1578. Acesso a deficientes. Horários: De 3ªs a domingos e feriados, das 11h às 18h. Às 5ªs: das 11h às 20h. A bilheteria fecha uma hora antes. Ingresso: R$ 15,00. Estudante: R$ 7,00. Crianças até 10 anos e adultos acima de 60 não pagam. 3ªs feiras: ingresso livre. Mais informações: www.masp.art.br. Twitter: http://twitter.com/maspmuseu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.