Um libelo de Stanley Kubrick contra a guerra

Glória Feita de Sangue

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

23 de abril de 2013 | 02h10

16H05 NO TELECINE CULT

(Paths of Glory). EUA, 1957. Direção

de Stanley Kubrick, com Kirk Douglas, Ralph Meeker, Adolphe Menjou.

Durante a 1ª Guerra Mundial, um oficial assume a defesa dos soldados que são injustamente acusados de covardia. Na verdade, eles serão condenados à morte para encobrir os erros do próprio alto comando. Clássico antibelicista, poderoso justamente por mostrar

a barbárie de um conflito, cujas dimensões não são apenas vistas no campo de batalha, mas também (e principalmente) nas salas de reunião em que o destino dos homens é traçado sumariamente. O filme, hoje uma obra-prima, ficou anos retido pelo comitê de guerra, incomodado com a forma cruel dos oficiais - soa extremamente incômoda a repetição de uma famosa frase de Samuel Johnson: "O patriotismo é o último refúgio dos canalhas". Um clássico sempre imperdível. Reprise, preto e branco, 87 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.