Um dia na terra

A experiência do filme com milhares de diretores em todo o mundo

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

26 de abril de 2012 | 03h08

É um projeto dos irmãos Ridley e Tony Scott com o diretor Kevin McDonald, de Um Dia em Setembro e O Último Rei da Escócia. No dia 24 de julho de 2010, frequentadores do YouTube em todo o mundo foram cooptados a gravar seu dia e a enviar o resultado para o próprio YouTube. Dezenas de milhares de pessoas responderam ao apelo e enviaram desde minutos até horas de gravação e filmagem. Todo esse material foi colhido pelo diretor McDonald e uma equipe de montadores. Num trabalho meio urgente de seleção e edição, eles fizeram A Vida em Um Dia.

Life in a Day estreou em Sundance e no Festival de Berlim em janeiro e fevereiro de 2011, seis meses após aquele dia tornado especial por tantos olhares diferentes. Na ausência de McDonald, impossibilitado de comparecer à Berlinale, o chefe dos montadores, Joe Walker, foi quem participou da coletiva e dos Q&A - perguntas e respostas com o público -, após as exibições.

Em 1927, o alemão Walter Ruttemann, considerado um dos mestres do documentário, fez um filme que até hoje impressiona pelos efeitos - que eram de vanguarda na época. Berlim, Sinfonia de Uma Cidade teve inúmeras imitações. O filme mostra a capital alemã, da manhã à noite, e sob todos os aspectos. Foi um dos modelos, Walker admitiu, na montagem de A Vida em Um Dia.

Era justamente o desafio inicial que se apresentava para McDonald e Walker. Como selecionar e organizar as milhares de horas de material? Eles fizeram sua seleção por temas e motivos audiovisuais. Nas mais diferentes cidades e culturas, buscaram aquilo que, na diversidade, humaniza e aproxima as pessoas. A ideia é reafirmar uma antiga verdade - as pessoas, malgrado suas diferenças, pensam e agem igualmente.

Fazem o amor e a guerra, nascem e morrem, escovam os dentes e passeiam com as crianças, ou os cachorros, divertem-se. "Tentamos ser o menos repetitivos possível, mas alguns motivos se impuseram - família, trabalho, alegria e tristeza. Pode ser que exista algo de idealista neste olhar, ou nesses olhares, mas você nunca viu a Terra desse jeito, com essa consciência planetária", resumiu Walker. Os créditos finais listam os milhares de autores dessa experiência rara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.