Imagem Leandro Karnal
Colunista
Leandro Karnal
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Um balaio e quatro gatos

Cada felino possui sete vidas, dizem. Assim você terá, enfim, 28 existências para tomar conta

Leandro Karnal, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2020 | 03h00

Meu caro: eu vou lhe dar quatro gatos. Sabe o motivo? Cada felino possui sete vidas, dizem. Assim você terá, enfim, 28 existências para tomar conta e poderá deixar de acompanhar a minha. Um balaio de vidas só para você, 24 horas, sem descanso! Que paraíso, não?

Sei que lhe causa prazer viver me observando. É uma homenagem, disseram-me. Porém, já passou pela sua cabeça cuidar da sua própria existência, achar alguma ocupação, abandonar a inveja como projeto e superar essa fixação quase erótica na minha pessoa madura? Quero ajudá-lo.

Fecho os olhos e posso citar rapidamente dez autores imensamente mais brilhantes do que eu. Verdade! Não estou nem entre os 50 melhores escritores do Brasil. Sinceramente! Você pode se deleitar com gente mais hábil e com domínio da língua muito superior. Sou vaidoso, todavia não sou louco ou cego. Muita gente é excelente. Por que perder tempo comigo?

Você gosta de ficar com raiva? Também posso indicar alguns autores que, incrivelmente, são piores do que eu. Tem gente que escreve mal, ideias confusas, lexicografia pobre e criatividade nula. Não estou entre os 50 piores brasileiros letrados.

Tudo o que eu disse sobre escrever pode ser dito sobre palestras. O Brasil tem milhares de excelentes palestrantes. Há uma pletora de ruins também. Uma seara imensa para sua fixação.

Se não sou o melhor e nem o pior, seu interesse não pode ser pelo conteúdo. É físico? Sem problema. O jogo erótico é complexo e nossos desejos inconfessados nos surpreendem. Não se sinta envergonhado, essas coisas acontecem sempre com todo mundo. A flecha de Cupido é aleatória. 

Entendo, porém confesso: causa-me espécie se assim for. Sou um senhor careca com um corpo que já teve dias melhores. Sua fixação é na calva? Vou sugerir Dwayne Johnson. Ele é quase dez anos mais jovem, bem mais alto, imensamente mais forte, lutador, carismático e muito mais rico. Pode atender a todas as suas necessidades. Não sei de mais detalhes sobre ele, mas permita-se o jogo da descoberta. Entregue-se. Também não estou entre os dez carecas mais charmosos do mundo. Creia-me. Ainda não “desabei”, porém os sinais do “desmanche” já saltam aos olhos. Usarei expressão antiga: tem cada “tipão” pelo mundo. Vá fundo! Ou deixe que possam ir fundo. Permita-se! Ouse! Não seja tímido! Eu nunca o julgarei.

Pode ser que a sedução seja pela voz. Já ouvi elogios sobre ela. Se for, façamos um acordo: eu lhe mando podcasts frequentes e você pode colocar um fone bem fundo, dentro do seu canal auditivo, e eu estarei com você, unido, dentro da sua cabeça. Suspeito que, de fato, eu já esteja lá há tempo. Mesmo no campo da voz existem muitos talentos perdidos pelo interior. Ouça rádios pelo nosso imenso país. É uma mídia que atrai talentos vocais. 

Talvez sua fixação seja pela exposição no teatro do mundo? Ela existe, sim. Aceite minha palavra: isso não depõe a meu favor. A fama, hoje em dia, parece ser mais caprichosa do que na época de Alexandre Magno ou de Júlio César. Basta abrir um canal e gravar algo. Qualquer coisa! Com calma, por inércia, o número irá crescendo como um fermento biológico.

Tenho muita gente nas minhas redes? Compare com o número de seguidores do Whindersson Nunes. Sou uma bactéria. Fama vem e vai. Posso estar esquecido em cinco anos, antes até. São meus números um pouco acima do comum e muito abaixo das estrelas? Vou ajudar de novo: Cristiano Ronaldo (o jogador) passou de 200 milhões no Instagram. Duzentos milhões, cara! Por que se contentar com pouco? Produto europeu de primeira, ilhéu de fama mundial. Mire alto e, talvez, resolva mais de uma fixação. Não está convencido? Ele fala português e vocês terão tertúlias intermináveis. É uma vantagem enorme sobre Dwayne Johnson. Tem de ser careca? Com o tempo você consegue. 

A inveja recaía sobre o cargo de professor da Unicamp, uma das melhores universidades do País? Pedi exoneração em abril de 2020. Abri caminho para um concurso com alguém mais jovem. Não é mais um atrativo meu. Pode descontar da folha do desejo e da inveja.

Não pode ser eu tocar piano. Eu era um pianista amador mediano e decaí muito nos últimos anos. Sirvo apenas para festas familiares após a primeira caixa de champanha ter sido esgotada.

Em resumo, passe seu endereço. Eu vou colaborar com sua felicidade. Enviarei os quatro gatos, um deles, quem sabe, com toxoplasmose, para dar mais trabalho e ocupar mais sua vida. Se a medida não preencher sua existência, um delicado bonsai de um pinheiro negro que pode viver muito tempo. Está gostando?

Em último caso e porque todo ser humano precisa de compaixão, posso convidá-lo para um domingo inteiro comigo. Tiro e queda! Minha imagem vai cair como Ícaro no mar. Você achará inúteis o ódio ou até o amor e buscará outro objeto. Creia-me: amor e ódio, comigo, é pura falta de convivência. Em último caso, um domingo pode resolver anos perdidos para você. Um único dia e você estará inoculado para sempre. Baterá na cabeça dizendo: como eu pude?

Posso fazer muita coisa para ajudá-lo, menos viver no seu lugar e por você. Estamos condenados a nós. Sei que a dor pesa e não podemos fugir. Mesmo comigo você continuará consigo. Isso não tem como escapar. Boa semana para todos que imaginam que um amor ou um ódio pode livrá-los de si.

É HISTORIADOR E ESCRITOR, AUTOR  DE ‘O DILEMA DO PORCO-ESPINHO’,  ENTRE OUTROS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.