Um autor que aspira à religiosidade

Entrevista com Olga Kurylenko

Entrevista com

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2013 | 02h16

Ucraniana, Olga Kurylenko virou estrela na França, como modelo e atriz de ação: Hitman - Assassino 47, 007 - Quantum of Solace. A entrevista foi feita no Rio, quando veio divulgar Oblivion, com Tom Cruise.

Como o filme de Malick ocorreu em sua vida?

Tenho agentes nos EUA e na França. Ele precisava de uma atriz que falasse bem francês e inglês e me aprovou quase imediatamente.

Você fez muitos filmes de ação. O que mudou com Malick?

Tudo! Em quase todos os filmes que fiz, os diretores seguiam um cronograma. Terrence tem um cronograma próprio. Quase não dá instruções. Improvisa e repete muito, porque o texto é quase sempre colocado depois. E ele repete a cena do ângulo de cada envolvido nela.

O que dizia do seu papel?

É sobre diferentes formas de amor. De mãe e filha, de homem e mulher, do homem e da natureza, mas o maior amor é o de Deus. É um filme que aspira à religiosidade.

Para mim, o que Malick aspira é a poesia e transcendência de um grande autor russo, Dovjenko. Já ouviu falar de Terra?

Sou ucraniana. Dovjenko é um símbolo da Ucrânia como os girassóis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.