Um astro vira-lata

Bruno Gagliasso estrela 'Joia Rara' e 'Mato Sem Cachorro' - e é o nome da vez na Globo

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

29 Setembro 2013 | 02h18

Bruno Gagliasso cria o primeiro herói de sua carreira. Ele estrela a nova novela das seis, Joia Rara, escrita pelas mesmas autoras de Cordel Encantado, Duca Rachid e Thelma Guedes. "É o primeiro herói de minha carreira e o que me encantou foram justamente as possibilidades da história e do personagem. O Franz não é um herói como os outros. Ele está em crise, e vulnerável. Dá para fazer um bom trabalho", anuncia o ator de 31 anos, que é secundado por coadjuvantes como Thiago Lacerda. 'Thiagão', como é chamado, está em centenas de salas pelo Brasil afora como o Capitão Rodrigo de O Tempo e o Vento, que Jayme Monjardim adaptou do romance cíclico do escritor gaúcho Erico Verissimo.

Em breve, terá a companhia de Gagliasso, que, além de estrelar a novela de época da Globo, também faz Deco, protagonista de Mato Sem Cachorro e o filme de Pedro Amorim toma de assalto as salas de cinema do País na próxima sexta-feira, dia 4. Protagonista de novela, estreia no cinema, Gagliasso está com tudo. "Já tenho outro filme que vai estrear no ano que vem. Isolados (de Tomás Portela) é um thriller psicológico, bem bacana."

Gagliasso fala do roteiro de Mato Sem Cachorro - "Era tão bom que não conseguia parar de ler." Deco, seu personagem, entende tudo de música, mas é um cara devagar. Devastado porque foi abandonado pela mulher, ele, que já não saía de casa, agora se coça - adivinhem o que - no sofá da sala, diante da TV e do laptop em que assiste a videoclipes e vídeos domésticos. Deco tem visual de cachorro abandonado. Cabeludo, barba por fazer, dá pena. "Era a ideia, que surgiu durante o processo. Deco é um vira-lata. É um personagem para as espectadoras ficarem com peninha, quererem adotar."

Com esse discurso 'carente', Gagliasso deve se dar bem com as mulheres, observa o repórter. "Para, cara, sou casado." A mulher, Giovanna Ewbank, é de São Paulo e o casal possui duas casas - uma no Morumbi, em São Paulo, e outra para os lados do Recreio, no Rio. Cada casa tem quatro cachorros, que interagem. "Tem de raça e vira-lata. Os vira-latas são os que se adaptam melhor, quando a gente faz rodízio e troca eles de casa."

Cachorreiro na vida - "Adoro" -, Gagliasso divide a cena de Mato Sem Cachorro com um astro internacional de quatro patas. Para saber por que foi preciso importar um cachorro de Hollywood, leia adiante. "Ele (Duff) é muito chique", sentencia Gagliasso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.