Um ano com os melhores autores

Umberto Eco falando a respeito do futuro do livro; Philip Roth discorrendo pela primeira vez, na imprensa mundial, sobre seu novo romance, que só sairia meses depois; Mario Vargas Llosa abordando o sentimento de latinidade, dias antes de ser anunciado como o vencedor do Prêmio Nobel de Literatura de 2010.

, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2011 | 00h00

Esses são alguns dos autores e temas que foram capa do Sabático em seu primeiro ano de publicação. O número de estreia do caderno circulou em 13 de março de 2010, antecipando as mudanças decorrentes do novo projeto gráfico e editorial do Estado, que entraria em vigor em todo o jornal no dia seguinte. Para marcar o aniversário do suplemento, uma seção especial do portal do Estado entra no ar hoje com uma seleção das principais entrevistas exclusivas e reportagens publicadas pelo Sabático neste seu ano 1 (acesse estadão.com.br/e/sabaticoano1).

No total, o leitor internauta terá acesso a textos de 15 edições regulares e uma extra. O número de estreia e a edição especial sobre José Saramago - que circulou em 19 de junho, um dia após a morte do Nobel português - entram na íntegra. Nos demais casos, estarão no ar as páginas específicas das entrevistas e reportagens que renderam capa do caderno. Além dos citados, há nomes como Eugenio Barba, diretor teatral italiano; Jacques Le Goff, historiador francês; e, entre os brasileiros, Alfredo Bosi, crítico, e Ferreira Gullar, poeta. Os percalços para a publicação do primeiro livro, a poesia feita para a web e a sacudida que os tablets vem provocando nas editoras do País também foram assuntos de destaque do suplemento e poderão ser relidos no especial do site.

O portal põe no ar, ainda, a partir de hoje, o quarto programa da série Leituras Sabáticas, com o escritor paulista Marçal Aquino. Aquino, de 53 anos, lê um trecho do romance Eu Receberia as Piores Notícias de Seus Lindos Lábios (veja em estadao.com.br/e/s3). Leituras Sabáticas, uma realização mensal do caderno e da TV Estadão, estreou em dezembro e já levou ao ar programas com Lygia Fagundes Telles, Milton Hatoum e Manoela Sawitzki lendo passagens de seus livros e explicando as circunstâncias em que foram escritas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.