Um adorável trapaceiro

Com um elegante chapéu de feltro, Kevin Spacey parece alguém chegando de Las Vegas. E é isso mesmo. O ator duas vezes ganhador do Oscar esteve lá no dia anterior para projeção de seu último filme, Casino Jack, papel que lhe rendeu indicação para o Globo de Ouro. Embora o título possa sugerir que tem algo a ver com jogo, na verdade fala do lobista de Washington Jack Abramoff, que caiu em desgraça em 2005, acusado de fraude fiscal e conspiração.

Rob Lowman, Los Angels Daily News, O Estado de S.Paulo

10 de fevereiro de 2011 | 00h00

Aos 51 anos, o ator admite que não sabia muito sobre Abramoff antes de assumir o papel sob a direção de George Hickenlooper (Uma Garota Irresistível). Uma reunião foi marcada com o lobista, que cumpriu pena numa penitenciária federal em Maryland até junho de 2010. Spacey não conhecia detalhes sobre a queda de Abramoff, preso após confessar participação no escândalo de negócios multimilionários com cassinos indianos que envolveu funcionários da Casa Branca, lobistas e assessores do Congresso em crimes de defraudação e corrupção.

"Quando soube que ia encontrar Abramoff, não vasculhei todos os comentários na internet sobre ele", diz Spacey. "Achei melhor não ouvir muitas opiniões. Não queria ser influenciado." O ator lembra que ficou contente de ter adotado essa atitude, porque isso lhe deu a chance de fazer muitas perguntas sobre como ele estava emocionalmente e como entrou nessa situação.

"Eu poderia entender pessoas como ele após conhecê-lo. Ele foi encantador." Mas, em seguida, tratou de conversar com quem não tinha uma boa opinião sobre o lobista. Algumas delas, acrescenta, não gostavam dele por causa do seu sucesso. "Tinha muitos inimigos." O desafio para Spacey foi separar o que era verdadeiro do que era falso sobre o lobista. Diz que um observador superficial definiria Abramoff como o mais ganancioso ser sobre a Terra. "Mas o que ele fez com o dinheiro? Não achei nenhum chalé suíço nem jato privado." O lobista também doou muito dinheiro, mas para o que muitos considerariam causas duvidosas.

"Acho que tentamos mostrar no filme uma certa dose de autojustificativa sobre as coisas que ele fez que estavam passando da conta e acabaram o levando à prisão", explica Spacey, lembrando que Abramoff não sentia que estava fazendo algo muito diferente do que qualquer outro em Washington. Lobistas "vendem acesso... é simplesmente isso". O fato de muitas pessoas saírem de Casino Jack com alguma simpatia por Abramoff diverte Spacey, que capta a maluquice e o encanto do lobista.

Uma nota triste para Spacey sobre Casino Jack é que Hickenlooper morreu inesperadamente, com 47 anos, em 31 de outubro, após o lançamento do filme. "É difícil falar de George. Era um garotinho borbulhante de energia e amava contar histórias. E era absolutamente pouco convencional", recorda. "Mas ele realizou o que pretendia com o filme, que ajuda a ilustrar como dinheiro, poder e influência estão invadindo nosso sistema político." / TRADUÇÃO DE CELSO M. PACIORNIKC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.