Último veterano da França na 1a Guerra morre aos 110 anos

O último veterano ainda vivo a ter lutadopela França na Primeira Guerra Mundial, um imigrante da Itáliaque ingressou nas trincheiras com a Legião Estrangeira, morreuaos 110 anos de idade, afirmou o gabinete do presidente francêsna quarta-feira. Não faz muito tempo, em novembro de 2007, LazarePonticelli, que ingressou no Exército de seu país de adoção aos16 anos de idade, no início da guerra contra a Alemanha, em1914, participou de uma cerimônia para lembrar o conflito. Depois da morte de Louis de Cazenave, aos 110 anos deidade, em janeiro, Ponticelli tornou-se o último dos "poilus"("peludos"), o apelido dado aos soldados de barba comprida querepresentaram a França em uma das guerras mais sangrentas dahistória do país. Ponticelli, que descreveu a guerra como algo "idiota,"recusou-se inicialmente a aceitar honras oficiais em seufuneral -- oferta do ex-presidente Jacques Chirac --,considerando que isso seria um insulto aos homens que tinhammorrido anonimamente. Mas o ex-combatente voltou atrás depois da morte deCazenave, argumentando que aceitaria uma cerimônia simples "emhomenagem aos meus camaradas." O atual presidente francês, Nicolas Sarkozy, elogiouPonticelli e disse que uma celebração nacional em nome de todosos que lutaram pela França na guerra seria realizada nospróximos dias. Ponticelli tornou-se cidadão francês em 1939, passando amorar no bairro operário de Kremlin-Bicêtre, em Paris, ondeparticipou regularmente das cerimônias do Dia do Armistício,celebrado em 11 de novembro. (Reportagem adicional de Emmanuel Jarry)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.