Último filme de Rogério Sganzerla

Loucuras na Idade Média

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2010 | 00h00

15H40 NA GLOBO

(Black Knight). 2001, EUA. Direção de Gil Junger, com Martin Lawrence, Marsha Thomason, Tom Wilkinson, Vincent Regan.

Empregado de parque de diversões em decadência se vê em grandes enrascadas quando é misteriosamente transportado para a Idade Média. Comédia feita sob medida para o humor de Martin Lawrence que atinge um público específico. Ou seja, não é para todos os paladares. Reprise, colorido, 95 min.

Scooby-Doo

23h10 NO SBT

(Scooby-Doo). EUA, 2002. Direção de Raja Gosnell, com Freddie Prinze Jr., Sarah Michelle Gellar, Mathew Lillard, Linda Cardellini.

A empresa de detetives Mistério S/A, formada por Fred, Daphne, Velma, Salsicha e Scooby-Doo, é fechada após um desentendimento entre seus membros. Depois de dois anos separados, o grupo é contratado pelo proprietário da Ilha do Espanto, que acredita que o parque está amaldiçoado. Enquanto Daphne, Velma e Fred iniciam uma disputa particular para ver quem resolve o mistério primeiro, Scooby e Salsicha dão o tom animado da aventura. Ou melhor, tentam - o personagem, criado por computação gráfica, é muito engraçado no original, mas, nesta versão, não encanta. Vale como curiosidade. Reprise, colorido, 86 min.

O Signo do Caos

23H30 NA CULTURA

Brasil, 2003. Direção de Rogério Sganzerla, com Otávio Terceiro, Sálvio do Prado, Camila Pitanga, Giovana Gold, Eduardo Gabus, Helena Ignez, Freddy Ribeiro, Gílson Moura, Felipe Murray, Vera Magalhães, Anita Terrana, Ruth Mezek, Djin Sganzerla.

Chega à alfândega do Rio de Janeiro uma carga de material cinematográfico. Mas o material só poderá ser liberado depois da análise pelo serviço de censura do governo. O responsável por isso é o dr. Amnésio. Derradeiro filme de Rogério Sganzerla (1946-2004), também diretor de, entre outros, O Bandido da Luz Vermelha, Copacabana Mon Amour e A Mulher de Todos, o tema é um dos mais recorrentes de sua obra: a vinda de Orson Welles ao Brasil no início dos anos 1940, onde rodou mas não terminou It"s All True, um documentário a princípio concebido como parte da política da boa vizinhança de Roosevelt, durante a 2ª Guerra. Assim, em O Signo do Caos, ele relembra essa história de maneira descontínua, fragmentada, como era seu estilo. Difícil para alguns, o longa, no entanto, não passa despercebido, especialmente por alguns dos mais belos planos do cinema brasileiro contemporâneo. Reprise, colorido, 80 min.

Intercine

1H50 NA GLOBO

A emissora exibe o preferido do público entre Os Sonhadores, de Bernardo Bertolucci, com Michael Pitt, Eva Green e Louis Garrel, sobre estudante americano que, em maio de 1968, se muda para Paris, onde conhece na Cinemateca Francesa irmão e irmã adolescentes e cinéfilos. É o início da crônica de um amor louco, em que o diretor italiano confina seus personagens em um apartamento. Brinca o tempo todo com as esferas do público e do privado. Brinca com o despertar da sexualidade, que naquela época era item tão revolucionário quanto faixas e cartazes. É um filme também sobre o cinema; e 7 Segundos, de Simon Fellows, com Wesley Snipes, Pete Lee-Wilson, sobre ex-militar de elite, agora ladrão internacional, que luta para resgatar integrantes de sua quadrilha, presos por gângsteres russos durante tentativa de assalto perfeito.

TV PAGA

Réquiem para Um Lutador

17H30 NO TCM

(Requiem for a Heavyweight). EUA, 1962. Direção de Ralph Nelson, com Antony Quinn, Jackie Gleason, Mickey Rooney, Muhammad Ali.

Drama sobre um veterano boxeador peso pesado, cuja carreira desaba quando ele é nocauteado pela jovem sensação Cassius Clay (interpretado pelo próprio Muhammad Ali). Anthony Quinn (1915-2001) foi um ator versátil, capaz de viver com grande realismo personagens clássicos. Mesmo nos papéis que lhe deram grande prestígio, mas que não resistiram à passagem do tempo, ele exibia sua técnica especial e impecável. O roteiro foi adaptado por Rod Serling de sua telepeça, considerada obra-prima ao passar na TV americana. Quinn, que foi pugilista antes de chegar às telas, está soberbo no papel que, para os mais atentos, faz lembrar o do lutador de A Estrada da Vida, de Fellini. Aqui, ele vive homem rústico obrigado a conviver com a simples figura interpretada por Giulietta Masina. São personagens que, apesar da truculência, têm temperamentos distintos. É especialmente tocante o fim de Réquiem para Um Lutador, em que o velho boxeador descobre a amargura da decadência. As vaias que Mountain Rivera é obrigado a ouvir trazem as marcas de uma triste realidade. Reprise, preto e branco, 96 min.

Homem-Aranha 3

19H30 NO MAX

(Spider-Man 3). EUA, 2007. Direção de Sam Raimi, com Tobey Maguire, Kirsten Dunst, James Franco.

Filme fecha a trilogia construída em torno de temas familiares (e da figura do pai). Peter Parker e Mary Jane chegam a um momento difícil da relação; o herói é contaminado por um fungo que libera seu lado maligno; e um fugitivo da cadeia vira o Sandman. Reprise, colorido, 92 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.