"Ufa, Que Perigo!" explora o medo urbano

Não fale do medo que temos da vida,não ponha o dedo na nossa ferida. O diretor Roberto Lageresolveu contrariar esses versos da canção de Ivan Lins e VitorMartins na peça Ufa, Que Perigo!, que estréia domingo no Ágora e tem como tema o medo urbano. Mais que isso, ousalevar o tema ao palco em horário de peça infantil, numespetáculo divertido, com linguagem inventiva e recomendávelpara "todas as idades". Com texto de Augusto Francisco inspirado em história deJulio Cortázar, Ufa, Que Perigo! tem como personagenscentrais o casal Ontok e Ontoka que vivem em Souzalândia.Apavorados com a insegurança de seu país, na expectativa deconseguir paz e tranqüilidade, principalmente para "ascrianças", eles apelam para a única pessoa que pode solucionarplenamente os seus problemas - o super-herói Super Etecétera. No palco, os cinco atores que integram o Núcleo deInvestigação do Ágora inventam palavras e recriam os gestos docotidiano de forma inusitada. Mesmo crianças muito pequenasdevem ficar hipnotizadas com as cenas das "viagens de avião"do casal Ontok e Ontoka ou dos jogos de vôlei e pingue-ponguedas crianças. Nessas cenas os efeitos sonoros e visuais sãoalcançados unicamente com recursos de voz e corpo dos atores,que criam um idioma cênico original, inspirado na linguagem dosquadrinhos e da animação. Bem divertida é a cena em que os adultos "zapeiam"diante da televisão, cujas "imagens e programas" sãorepresentados pelo elenco. "O espetáculo é resultado dainvestigação teatral - pesquisa gestual e de linguagem - queestamos desenvolvendo aqui no Ágora. Por enquanto ainda estamoslonge do nosso objetivo", comenta o exigente Lage. Para quem não lembra, Lage foi um dos líderes de ummovimento chamado Teatro Censura Livre que, na década de 70,mobilizou a cena paulistana. "Naquela época havia muitopreconceito com o teatro infantil, ainda considerado um teatromenor." Lage foi um dos diretores que contribuíram para dar amerecida dimensão a esse importante gênero teatral.Ufa, Que Perigo! - Teatro Ágora: Rua Rui Barbosa, 672. Tel: 3284-0290. Sábados e domingos, às 16 horas. R$ 5,00 (estudantes) e R$ 10,00. Até 26/5.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.