Ubaldo desiste da Flip: "não quero ser coadjuvante"

O escritor João Ubaldo Ribeiro desistiu de participar da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), que ocorre entre 7 e 11 de julho na cidade histórica. Apesar de elogiar o evento, ele se considerou um mero coadjuvante. "Respeito todos os autores participantes e também a organização, mas, no material de divulgação da festa, chego a ficar fora até do ´etc.´", disse Ubaldo. "Não tenho vedetismo, mas não posso, depois de velho, participar como um coadjuvante."João Ubaldo participaria de uma mesa ao lado de Lygia Fagundes Telles e Moacyr Scliar, que vão apontar os clássicos preferidos por eles. O encontro, marcado para a tarde do dia 10, foi um dos primeiros a ter os ingressos esgotados. "Lygia e Moacyr são escritores de altíssimo valor e certamente não farei falta", disse ele, que está lançando o livro Você me Mata, Mãe Gentil (Nova Fronteira), coletânea de crônicas. "Se dois ou três ingressos foram vendidos por minha causa, essas pessoas serão recompensadas pelos dois."A decisão surpreendeu os organizadores da Feira Literária. "João Ubaldo é um dos clássicos da nossa literatura e sua presença era indispensável", comenta Flávio Pinheiro, diretor artístico do evento. "Mas não concordo quando ele diz que a Flip privilegia determinados autores." O argumento vem em resposta à queixa de Ubaldo de que a divulgação da feira tem ressaltado a presença de certos escritores. "A partir da divulgação, percebi que se trata basicamente de um evento voltado para autores da Companhia das Letras", afirmou. "Claro que são nomes de grande valor, mas não entendo os motivos desse privilégio."Flávio Pinheiro comenta que, neste ano, a Feira Literária está mais descentralizada em relação à de 2003. "Agora, serão 38 escritores presentes, dos quais 16 estrangeiros de nove países. Entre os brasileiros, há muitos clássicos, como o próprio Ubaldo, mas, se a mídia vem demonstrando mais interesse em divulgar os estrangeiros é por conta da curiosidade natural, uma vez que os nacionais são mais facilmente contatáveis", disse. "Não temos como controlar o que a imprensa decide divulgar." Como a decisão do escritor surpreendeu os organizadores, ainda não está decidido se João Ubaldo será substituído por outro escritor brasileiro - há ainda uma tendência de se tentar convencê-lo a voltar atrás em sua decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.